Horas  4 horas 22 minutos

Coordenadas 911

Uploaded 5 de Abril de 2015

Recorded Abril 2015

-
-
792 m
395 m
0
3,1
6,3
12,55 km

Visualizado 2009 vezes, baixado 80 vezes

próximo a Moldes, Aveiro (Portugal)

Os Caminhantes voltaram ao GeoPark de Arouca para calcorrear mais um dos muitos PR´s da região. Desta vez a proposta passou por realizar o PR3 – “Caminhos do Sol Nascente”, percurso de pequena rota, com cerca de 13kms, circular, com um pequeno ramal de acesso à Igreja Matriz de Moldes, onde se inicia. Por ser circular pode ser iniciado em qualquer dos lugares por onde passa e em qualquer sentido, mas por a subida de Moldes para Bustelo ser mais suave foi por esse sentido que optamos.
Junto à Igreja de Moldes tomamos a estrada asfaltada na direcção de Fuste e, passados 300 metros, depois da bifurcação para Friães, abandona-mo-la, tomando à direita um caminho que nos leva à Serra. Seguindo as marcações amarelas e vermelhas encontramos um caminho antigo que, subindo, nos conduz por um bosque onde predomina o pinheiro, aqui e ali salpicado de castanheiro e carvalho. Alguns eucaliptos também. Continuando por ele e após frondoso bosque de castanheiro e carvalho, chegamos a Bustelo. Percorremos a aldeia pelo seu caminho mais antigo, passando uma rústica, singela e bela fonte de água cristalina e fresca e entrando de novo por um caminho de asfalto em direcção à antiga escola. Junto desta, retomamos os caminhos antigos e tradicionais. Depois de atravessarmos o ribeiro de Espinho, tomamos um caminho, à esquerda, que sobe suavemente. Numa curva apertada, tomamos o caminho da esquerda, um caminho muito antigo que fazia a ligação das aldeias de montanha (Cabreiros, Tebilhão e Cando) à sede do Concelho. Era por aqui que se faziam os funerais para o cemitério de Moldes. Seguindo pelo dito caminho, que sobe suavemente, atingimos um moinho ladeado de belos exemplares de azevinho e a seguir umas alminhas. Para montante os campos e as aldeias de Adaúfe. Aqui podemos admirar as cascatas do lindo ribeiro das Rocas, aproveitando para um pequeno descanso. Depois de atravessarmos o ribeiro numa pequena ponte de arco seguimos, subindo suavemente, até Espinheiro. Embora o percurso passe ao lado, a arquitectura e a construção tradicional, onde impera o granito e o xisto nas coberturas, merece uma visita. Assim foi, desviando-nos do trilho passamos por Espinheiro, onde aproveitamos para o reforço da manhã no restaurante “Casa no Campo”.
Depois de retemperar as forças continuamos caminho por estrada de asfalto e chegamos ao parque de lazer da Palma, onde atingimos a quota máxima: 770 metros de altitude. Daqui temos deslumbrante panorâmica sobre o vale de Moldes e a Sr.ª da Mó, a norte; para Nordeste a Serra do Montemuro, para Noroeste os campos em socalcos de Adaúfe e de Bustelo.
Descendo pelo estradão, rapidamente atingimos, no final deste, um grande tanque comunitário de regadio tradicional. Neste local seguimos pelo caminho de asfalto, para a direita, até Fuste. Depois de admirarmos alguns motivos de interesse (eiras espigueiros, ramadas de vinhas...) seguimos pelo caminho tradicional até ao núcleo mais antigo da aldeia. Admire-se o moinho agora parado. Depois de passarmos por um "túnel" de ramadas, outra vez a estrada de asfalto que nos leva até a escola. Imediatamente após esta, tomamos o caminho da esquerda, descendo para vila Cova e para o vale de Moldes.
Observa-se, daqui, a forma integrada e harmoniosa dos núcleos habitacionais de Póvoa e de Friães: os bosques circundantes, os cultivos de milho, as ramadas de vinha... Passados 900 metros deixamos a estrada de asfalto, atravessamos uma pequena ponte de pedra em arco e estamos, outra vez, num caminho tradicional. Passamos Póvoa e a seguir Friães e pouco depois estamos de novo na Igreja de Moldes local de término deste percurso.

Fonte: cm-arouca.pt

1 comment

  • barbarabrandao 28/set/2016

    Para todos aqueles que percorreram esta PR de Arouca um pedido muito importante:
    Pedido de colaboração em estudo Universitário: Este questionário destina-se a encontrar respostas para o estudo de Doutoramento intitulado «A rede de percursos pedestres do Arouca Geoparque Mundial da UNESCO: um contributo para a geoconservação e para o geoturismo» e visa avaliar o contributo dos percursos pedestres para a transmissão de conhecimento sobre a Geodiversidade e sua relação com a geoconservação. Aplica-se a todos os utilizadores dos percursos pedestres do Município de Arouca. Pode aceder ao questionário aqui: https://goo.gl/YrCIRX
    OBRIGADA

You can or this trail