Tempo em movimento  4 horas 10 minutos

Horas  5 horas 46 minutos

Coordenadas 2952

Uploaded 24 de Maio de 2018

Recorded Maio 2018

  • Rating

     
  • Information

     
  • Easy to follow

     
  • Scenery

     
-
-
632 m
449 m
0
4,3
8,6
17,27 km

Visualizado 239 vezes, baixado 17 vezes

próximo a Viseu, Viseu (Portugal)

Chegámos de expresso a Viseu. Eram 11:20h quando iniciámos a jornada. Procurámos a seta amarela mais próxima e seguimos o caminho. Um parque muito bem arranjado e tratado deu-nos as boas vindas e os aesculus, plenos de flores, desejaram-nos "Bom Caminho". De seta em seta lá fomos andando e, quando dei por mim cheguei à conclusão que era tarde para ir à parte histórica da cidade. Acho que ninguém deveria perder uma saída junto da Catedral nem o passeio pela antigas ruas da cidade. Voltar para trás não foi a opção. Ainda que conheça bem a cidade fiquei com pena.
Ainda mal saíramos da cidade e, na busca pelo 1.º Carimbo (que acabou por não acontecer na cidade ), em Santiago encontramos a igreja aberta, entrada franqueada como a convidar para entrar. Entrámos. Pedimos ao Santo e ao Pai que nos abençoasse que bem precisávamos, registámos a ilustração do local e partimos mais confiantes. Logo ali um talho aberto. Metemos conversa e pedimos que nos carimbasse as credenciais. A carimbadela veio acompanhada de dois chouriços grátis. Mais tarde, quando os comêssemos, haveríamos de nos recordar desta simpatia.
As casas floridas por onde passávamos dávam-nos as boas-vindas. No Monte da Madalena a Capela de Santo António, ainda fechada, apenas permitiu o registo ilustrativo. Seguimos pela Rua da Capela e, um pouco à frente em jardim cuidado dois espigueiros e casa rural em granito recuperada, chamou a nossa atenção, não tanto pelas construções mas pelas alfaias antigas espalhadas no jardim. Adiante deixámos o asfalto e entrámos num caminho rural muito bonito mas foi "sol de pouca dura". Em Bassar voltamos ao asfalto e, seguindo a Rua de S. José fomos dar ao largo do Rossio. A capela de Nossa Senhora dos Milagres, datada de 1864, tinha a porta aberta e permitiu que entrássemos. Em frente um cruzeiro, nascido no mesmo ano, terá cerca de 3m de altura e uma cruz muito simples. Ao lado um lavadouro público, fresquinho, com lugar para nos sentarmos e comermos as sandochas que íam a pesar na mochila. Descansámos um pouco, aprecciámos o painel de azulejos, bebemos, abastecêmo-nos de água fresca e partimos. Um ponto para recordar.
Deixámos Bassar em direção ao Campo ainda pelo asfalto que já cansava. Um pouco à frente deixamos finalmente o asfalto para seguirmos por um caminho rural muito agradável. Perto da Folgosa, na capela de Santo António rezava-se o terço mas os olhares das senhoras lá dentro desencorajam-nos a entrar. Em frente, no adro, frondosos carvalhos dão sombra a um antigo cruzeiro e um pequeno coreto, ambos em granito. Um pouco à frente entramos numa estrada em terra batida e depois num caminho rural que los levará a Lageosa. De novo caminhamos em asfalto.
Depois de deixarmos o asfalto o percurso torna-se muito agradável. Passamos por partes de uma estrada Romana, em Pousa Maria, que, supostamente, era a que ligava Bracara a Emérita Augusta. A seguir são carreiros serranos entre giestas brancas que nos hão de conduzir até à N2 pela qual subimos os últimos metros que nos separam de Almargem.
Ali fomos muito simpaticamente recebidos pelo Sr. José Fernandes que nos esclareceu e mostrou as belas instalações da Escola Primária agora convertida num bom albergue. Os 3€ cobrados pela hospedagem pareceram-nos pouco para a qualidade do albergue.
Tomámos banho e descemos à rua da Fonte à procura do Libório, restaurante que nos tinha sido recomendado por amigo. Não estava o dono mas a D. Aurora prontificou-se de imediato a fazer-nos o jantar. Enquanto aquele não estava pronto trouxe-nos cervejas bem fresquinhas, pão e queijo caseiro e delicioso para irmos petiscando.
Em resumo: com uma manhã e tarde muito quentes: os17 KMS pareceram 30. Se não fosse a tasca do sr. Libório o primeiro dia seria um dia muito duro.
Um bem haja ao sr. José Fernandes, ao povo simpático de Almargem e à D. Aurora, que nos tendo aconchegado o estômago deu força ao espírito para enfrentar o dia seguinte.

1 comment

  • Foto de leloven

    leloven 11/out/2018

    I have followed this trail  verificado  View more

    La señalizacion es mejorable.casi todo por bosque.pero de pinos.Continuo sube baja por lo cual las rodillas se resienten.
    Comi muy bien y barato en Moes en la pssteleria restaurante
    El albergue de Ribplhos muy bien

You can or this trail