Tempo em movimento  6 horas 26 minutos

Horas  7 horas 35 minutos

Coordenadas 5193

Uploaded 4 de Maio de 2018

Recorded Maio 2018

-
-
397 m
80 m
0
7,4
15
29,77 km

Visualizado 825 vezes, baixado 49 vezes

próximo a Tomar, Santarém (Portugal)

Há muito que queria fazer este caminho. Proporcionou-se agora. Iniciámos junto ao edifício da Misericórdia e dirigimo-nos à Praça da República. A leste desta praça encontra-se a Igreja de São João Batista. Este templo, já meu conhecido das muitas visitas a Tomar, data dos finais do século XV, tem um portal manuelino e a torre, com coruchéu, é de formato octogonal como se impunha num templo marcado pelos templários. No centro da praça destaca-se a estátua do mestre templário D. Gualdim Pais, fundador da cidade de Tomar. A nascente da praça fica o edifício dos Paços do Concelho (Casa da Câmara quando edificado no século XVI) com o primeiro plano em galilé de 3 arcos.
Bem, sigamos que temos muito que andar. Contornamos o edifício da Câmara pelo sul passando pela Taberna Antíqua (ainda é cedo para ir beber um copo), cortamos à esquerda para a Rua O Pé da Costa de Baixo, logo a seguir subimos a Calçada de S. Tiago, subimos a escadinha, atravessamos a Av. Dr. Vieira Guimarães e seguimos por uma calçada junto à muralha que contorna a Mata Nacional dos Sete Montes até à entrada para o Convento de Cristo. Sobre o Convento de Cristo, a Charola e a Janela Manuelina tudo é tão conhecido que não vamos aqui demorar-nos.
Tiramos mais umas fotos com o telemóvel e seguimos pelo caminho sinalizado até ao Aqueduto de Pegões, obra monumental que, cuja construção foi iniciada no reinado de Filipe I (em 1593) sob a direção de Filipe Terzio, (arquiteto-mor do reino) e concluída por Pedro Fernando de Torres em 1614. Este é um monumento monumental que vale a pena visitar. Vamos com pressa e não nos demoramos muito.
A partir daqui começa um caminho cuja paisagem é muito bonita mas sem grandes motivos de referência. Em Fungalvaz informamo-nos sobre a existência de um Albergue de Peregrinos junto à igreja, bebemos uma água naquele que seria o único café encontrado aberto até chegar a Fátima. Por isso, ATENÇÃO - neste caminho não há fontes (pelo menos nós não encontrámos) nem cafés abertos. É preciso levar um bom stock de água. Valeu-nos uma simpática senhora que se prontificou a encher-nos as garrafas de água.
Chegados a Fátima (7 horas de caminho contando com o tempo de almoço) a primeira coisa que procurámos foi uma imperial para matar a sede. Depois fomos para o Santuário e agradecemos a Nossa Senhora tudo aquilo que queríamos agradecer.

1 comment

  • Foto de Delfim Nobre

    Delfim Nobre 17/mai/2018

    Avante amigos Joaquim e Alice!
    Pés no chão, coração ao alto!
    Abraço a ambos,
    Delfim e Paula

You can or this trail