Horas  7 horas 43 minutos

Coordenadas 1682

Uploaded 12 de Outubro de 2018

Recorded Outubro 2018

-
-
43 m
-22 m
0
7,0
14
27,88 km

Visualizado 492 vezes, baixado 32 vezes

próximo a Vila do Conde, Porto (Portugal)

FOTOS DESTA E DE OUTRAS TRILHAS EM ”CAMINHANTES"

O “Caminho Português da Costa” aqui traçado segue principalmente a orla marítima a partir do burgo portuense passando por Matosinhos, Maia, Vila do Conde, Póvoa de Varzim, Esposende, Viana do Castelo, Caminha, La Guardia, Baiona e Vigo antes de se juntar com o Caminho Central em Redondela até Pontevedra. Aqui optamos por seguir a Variante Espiritual passando por Armenteira, Vilanova de Arousa e Pontecesures onde se volta a juntar com Caminho Central até à Catedral de Santiago de Compostela.

2ª ETAPA
VILA DO CONDE - MARINHAS


Hoje retomamos um esboço adiado por algum tempo, mais precisamente dois anos… ou na boa verdade, aproveitando o feriado de 5 de outubro, que este ano originou um fim-de-semana prolongado, vamos agora iniciar um projecto, tomando como ponto de partida o percurso realizado em 2016. Nessa altura realizamos a etapa que ligou a Cidade Invicta do Porto a Vila do Conde - mote para planear agora, o Caminho Português da Costa, por secções… Dispondo de três dias, vamos, por agora calcorrear mais três etapas do Caminho Português da Costa terminando em Caminha e regressando ao Porto de comboio.

Chegamos cedo a Vila do Conde, dirigimo-nos ao Albergue de Peregrinos de Santa Clara para marcar o “waypoint” e dar continuidade à gravação da trilha de 2016. Seguimos pela Igreja de São João Baptista também designada por Igreja Matriz de Vila do Conde. É um dos mais importantes monumentos da cidade e um dos mais significativos em estilo Manuelino no país, apresentando elementos da arquitectura gótica e renascentista. A sinalética do Caminho da Costa é bem visível, existindo vários tipos de marcas que não nos deixam com a mínima dúvida… seguimos pelas ruas da cidade em direção à contígua cidade da Póvoa do Varzim. Já na cidade, passamos pelo Monumento ao Carteiro e pela Capela de São Roque que aproveitamos para dar uma espreitadela ao seu interior… Continuando pelas ruas da zona comercial da cidade chegamos ao passeio da marginal, na Avenida dos Banhos, o qual seguimos paralelos aos extensos areais das diversas praias da Póvoa.

O percurso segue na orla marítima, de praia em praia, ora por passeios da marginal, ora por passadiços de madeira, mas sempre junto ao mar… até à Praia da Barranha, na Vila de Aguçadoura, onde somos encaminhados para a estrada M501 que vamos seguir sensivelmente ao longo de dois quilómetros para depois sair à esquerda por outra estrada local até à localidade da Apúlia. Destaque para a Igreja Paroquial da Apúlia, de invocação a S. Miguel, data de 18 de Agosto de 1945. Substituí uma anterior que havia sido reformulada entre 1696 e 1700. A atual construção reflete o gosto da época pelo revivalismo por certos pormenores de anteriores estilos, misturando-se num neo-eclectismo, sóbrio, por vezes elegante.

Continuando sempre por estrada chegamos ao Fão, passamos junto ao Templo do Bom Jesus do Fão, construção de cariz renascentista, data dos inícios do século XVIII. Tem a fachada principal voltada a Norte e uma torre provida de gárgulas e coroada de pináculos, adossada do lado sul. A porta principal está coroada com frontão quebrado, sobre o qual está uma bem proporcionada rosácea elipsoidal emoldurada por motivos florais. A fachada culmina em frontão onde estão inseridas as armas reais pintadas a bege, azul claro e branco. Rematam o conjunto dois pináculos laterais e uma cruz central. A zona que atravessamos no Fão poderá ser uma opção para almoço por apresentar grande oferta na área da restauração, nós preferimos continuar e almoçar em Esposende. Atravessamos a Ponte Dão Luís Filipe sobre o Rio Cávado, também conhecida como Ponte do Fão. É o único monumento existente no concelho de Esposende que ilustra a arquitetura do ferro em Portugal, talvez influência do engenheiro Gustave Eiffel, que vivia nessa época em Barcelos. Foi inaugurada a 7 de agosto de 1892, ocasião em que recebeu o nome oficial de Ponte Luís Filipe em homenagem ao então príncipe herdeiro.

Pouco depois estávamos em Esposende, atravessamos as suas ruas em direção ao burgo, passando pela Câmara Municipal e Igreja Matriz. Tempo cristão, católico, com a invocação de Santa Maria dos Anjos, constituído por uma nave central com três naves, com duas torres sineiras a ladear a entrada. Sua origem remonta a uma construção inicial, do séc. XVI (1550-1558), cujos restauros posteriores fizeram desaparecer sua traça inicial, dando lugar a outros arranjos e fins do séc. XIX e ao acrescento da nova sacristia e capela mortuária, em fins do séc. XX e inícios do XXI.

Na cidade de Esposende temos todos os serviços de apoio, nomeadamente supermercados, farmácias, instalações hospitalares, restaurantes, cafés e correios. Aproveitamos a grande oferta de serviços para almoçar e fazer uma merecida pausa numa das muitas esplanadas da cidade. Já com as forças retemperadas voltamos ao “Caminho” e pouco depois estávamos de volta à orla marítima, passamos junto ao Forte de São João Baptista de Esposende, também referido como Castelo de São João Baptista e Forte de Esposende. É um Forte de marinha, tinha originalmente a função de guarnecer a foz do rio Cávado. Foi edificado entre 1699 e 1704, sob o reinado de Pedro II de Portugal (1667-1706), tendo sofrido posteriormente alguns cortes na sua estrutura. Encontra-se classificado como Imóvel de Interesse Público desde 1982.

Seguindo as marcações do “Caminho”, pouco depois estávamos no Albergue de Peregrinos de S. Miguel de Marinhas, local escolhido para a pernoita desta etapa. Instalado num antigo edifício granítico de cariz rural, situado no antigo Campo de São Miguel, o albergue contempla dois dormitórios que perfazem uma capacidade total de alojamento para 34 (trinta e quatro) peregrinos. Dispõe de receção, cozinha, sala de convívio, sanitários e máquina de lavar roupa. O alojamento tem um custo de 5 euros (preço em 2018), sendo obrigatório apresentar a respetiva credencial.


FICHA TÉCNICA DA ETAPA

Inicio: Vila do Conde
Fim: Marinhas (Esposende)
Percurso: Vila do Conde (Albergue de Santa Clara) - Póvoa do Varzim - Vila da Aguçadoura - Apúlia - Fão - Esposende - Marinhas (Albergue de Peregrinos de S. Miguel de Marinhas)
Extensão: 27km
Marcha efetiva: 6h20min
Pernoita: Albergue de Peregrinos de S. Miguel de Marinhas

Informação sobre o Albergue de Peregrinos de S. Miguel de Marinhas
Localização: Avenida de São Sebastião - Marinhas
Coordenadas de Localização Geográfica: 41.557981, -8.781678
Horário de Funcionamento: Registo de peregrinos das 15.00h às 22.00h Encerramento das portas 22.00h Aberto todo o ano.
Capacidade: 34 Lugares
Contactos:
Telefones: 253 964 720
E-mail: [email protected]

Promotores: Delegação de Marinhas da Cruz Vermelha Portuguesa, com base num protocolo de colaboração entre a Junta Freguesia de Marinhas, a Câmara Municipal de Esposende, a Via Veteris - Associação Jacobeia de Esposende e a A.E.J.
Instalações:
1 Receção
2 Camaratas
1 Mini Cozinha
1 Sala Refeições/Convívio
1 Lavandaria
4 Instalações Sanitárias com chuveiro (M&F)
1 Terraço
1 Apoio para Bicicletas
Equipamentos e Acessórios:
17 Beliches
1 placa com discos elétricos
1 Micro-ondas
1 Frigorífico
1 Lava loiças
Pratos, copos, talheres, panelas
1 Lavandaria com máquina de lavar roupa c/moeda, máquina de secar roupa c/moeda.


AS ETAPAS
CAMINHO PORTUGUÊS DA COSTA (1ªETAPA) SÉ DO PORTO - VILA DO CONDE
CAMINHO PORTUGUÊS DA COSTA (2ªETAPA) VILA DO CONDE - MARINHAS
CAMINHO PORTUGUÊS DA COSTA (3ªETAPA) MARINHAS - VIANA DO CASTELO
CAMINHO PORTUGUÊS DA COSTA (4ªETAPA) VIANA DO CASTELO - CAMINHA


O CAMINHO PORTUGUÊS DA COSTA

Sobre o Caminho Português, tal como para todos os outros, não se pode falar com rigor de um único caminho. O Caminho Português da Costa, que liga o Porto a outros concelhos costeiros, com a alternativa de ligação à Galiza, ultrapassando o rio Minho em La Guardia (frente a Caminha), Goian (através de Vila Nova de Cerveira) ou mesmo Tui (por Valença do Minho) era, segundo alguns historiadores, um dos eixos mais importantes para alcançar a casa do apóstolo em Santiago de Compostela, ganhando a devida importância somente na época moderna, a partir do século XV, sendo utilizado pelas populações costeiras e pelos que desembarcavam nos portos marítimos.

O Caminho Português da Costa é aquele em que a simplicidade das gentes enobrece os lugares históricos e embeleza as paisagens naturais. Cada passo é acompanhado por um suave cheiro a maresia que dá força à mente, colocando à prova o corpo, rumo ao objetivo traçado. Cada dia oferece momentos para serem saboreados e apreciados, onde a imensidão do oceano contrasta com as montanhas que delimitam o Caminho, criando um misto de emoções de suster a respiração. As gentes do mar, com a sua autenticidade, tratam o caminheiro de forma afável e orgulhosa, sem se escusarem a apoiarem cada peregrino na sua missão de alcançar o próximo marco. O Caminho da Costa tem uma espiritualidade própria, vivida de forma única por cada peregrino, o que torna cada viagem, através da natureza em estado puro, numa caminhada que tem tanto de serena como de emocionante. As montanhas de uma beleza singular cruzam os vales que refletem o brilho dos rios e riachos, refrescando assim as passadas de quem por ali passa e renasce. Após cada curva, um novo cenário idílico acompanhado pelo mar. É que só neste caminho é que se pode apreciar a relação entre as tranquilas praias e as fortes ondas do Atlântico. A aragem do mar, com o seu característico cheiro a sargaço a secar nos areais, que o mar traz e leva, compõe um quadro perfeito. Ao longo do caminho, assistimos, através destas paisagens, à personificação de muitos momentos da vida que levam o pensamento a encontrar um sentido. Pelos centros históricos escutam-se estórias sobre os que passaram, partilhadas pelas gentes que recebem. A admiração e sedução por cada momento ficam guardadas, apelando a um regresso, rápido, por este Caminho. Este é o trilho para quem procura novas sensações, que ultrapassam o corpo e aclaram a mente, através de uma viagem em que o espiritual se completa com o interesse cultural e paisagens de tirar o fôlego.

Descobre o teu Caminho...

Fonte: http://www.visitporto.travel/Lists/ISSUUDocumentos/CaminhosSantiago_CaminhoDaCosta.pdf



Se gosta das nossas trilhas adicione a sua avaliação no final da página.
Obrigado pelo seu comentário e avaliação.

Si te gusta nuestras rutas haz tu propia valoración al final de la página.
Gracias por tu comentario y valoración.

If you like our trails, leave your own review at the end of the page.
Thank you for your comment and review.

A equipa Caminhantes

2 comentários

  • Foto de M. MOREIRA AZEVEDO

    M. MOREIRA AZEVEDO 29/out/2018

    Devem ter ficado todos rotinhos com os acumulados.........

  • Foto de Caminhantes

    Caminhantes 29/out/2018

    M. MOREIRA AZEVEDO um acumulado de fazer inveja ;)
    Grande abraço!

You can or this trail