Horas  2 horas 53 minutos

Coordenadas 887

Uploaded 15 de Março de 2018

Recorded Janeiro 2010

-
-
90 m
-2 m
0
7,2
14
28,86 km

Visualizado 639 vezes, baixado 54 vezes

próximo a Caminha, Viana do Castelo (Portugal)

Esta etapa começa no Albergue de S. José de Ribamar e termina no Albergue Solidário do Camping de Mougas.
Decidimos almoçar ainda em Caminha para nos despedirmos da boa comida portuguesa (ainda que a Galiza não fique muito distante em termos gastronómicos e geográficos).
Passámos o Minho no primeiro ferry da tarde (ver horário e preço do ferry em http://www.cm-caminha.pt/ver.php?cod=1E0C). Para quem quer fazer este caminho é essencial que se informe se há ou não ferry porque este está sujeito às marés e a pausas grandes para manutenção.
Meia hora depois estávamos em A Pasaxe. Claro que era impossível chegar a Mougas durante o dia pelo que decidimos ficar no albergue de La Guardia (ou a Guarda como preferem os galegos).
Um pouco de depois de sair do ancoradouro encontrávamo-nos num carreiro de montanha que contorna o Monte de Santa Tecla e proporciona uma vista de paisagens lindíssimas.
Seguimos quase diretos ao albergue onde fomos recebidos por um "hospitalero" que, além de simpático e bem humorado, foi muito solícito nas informações prestadas. Bem haja amigo Antonio Ferreira. Acomodámo-nos, tomámos o banho reparador e rumámos para a cidade buscando um bom restaurante onde jantar e... pasme-se, acabámos no Pizicata que nos saiu melhor que o que pensámos quando vimos o nome. Comemos e bebemos bem e a preço de peregrino.
Para dar os 1000 passos depois do jantar e porque a caminhada do dia tinha sido curta, subimos ao castelo de Santa Cruz onde viemos a constatar que os portugueses levaram aí uma coça.
Manhã cedo e eis-nos a retomar a nossa etapa com destino a Mougás.
Uma ligeira brisa marítima obriga a que caminhemos com o polar vestido mas breve teve que ser despido.
Não sendo tão bonita como a nossa costa, esta parte da Galiza apresenta belas paisagens e alguns pontos de interesse.
As cetaceas Redonda e Altina aparecem agora no nosso caminho, Ficámos a saber que eram piscinas construídas para conservação do marisco vivo.
Junto ao Mosteiro de Oia, que se encontrava "cerrado", tomámos o pequeno almoço. O Mosteiro, aparentado e quase contemporâneo do nosso de Alcobaça (1137), foi fundado pelos monges de Cister, é um belo monumento e foi sede da comunidade monástica mais importante da diocese de Tui. Agora é privado e a única parte que se pode visitar é a igreja. Acabado o "desayuno" seguimos a jornada.
A paisagem continua bonita sem grandes pontos a referenciar.
Até que chegamos a Mougás. Fomos bem recebidos e foram dadas várias hipóteses para pernoita incluindo o albergue solidário a 8€ por pessoa. Como este era um pouco apertaduxo e já lá estavam várias pessoas, acabámos por ficar em quartos cuja qualidade não era nada má e o preço bastante razoável. Ceámos no restaurante do próprio parque a preço de peregrino e com muita qualidade. O responsável deu-nos todas a s informações do caminho e fez alguns telefonemas para garantir que tínhamos lugar no albergue seguinte.

Comentários

    You can or this trail