• Foto de Caminho do Itupava clássico (sem trilhos)
  • Foto de Caminho do Itupava clássico (sem trilhos)
  • Foto de Caminho do Itupava clássico (sem trilhos)
  • Foto de Caminho do Itupava clássico (sem trilhos)
  • Foto de Caminho do Itupava clássico (sem trilhos)
  • Foto de Caminho do Itupava clássico (sem trilhos)

Coordenadas 445

Uploaded 4 de Janeiro de 2017

Recorded Janeiro 2017

  • Rating

     
  • Information

     
  • Easy to follow

     
  • Scenery

     
-
-
1.088 m
13 m
0
5,1
10
20,35 km

Visualizado 2224 vezes, baixado 145 vezes

próximo a Borda do Campo, Paraná (Brazil)

Caminho do Itupava completo, desde quatro barras até a ponte velha de Porto de Cima.

O Caminho do Itupava é uma das 68 Unidades de Conservação do Estado do Paraná, gerenciadas pelo Instituto Ambiental do Paraná (IAP) e seu trajeto de 22 quilômetros está entre os municípios de Quatro Barras, na Região Metropolitana de Curitiba, e Morretes, no litoral do Paraná.
Originário de trilhas indígenas, o Caminho do Itupava é o caminho mais antigo do Paraná e, portanto, preserva um pouco da história da colonização do Paraná. A antiga Trilha do Itupava foi muito utilizada pelos jesuítas, comerciantes, aventureiros e apesar das diversas dificuldades que apresentava, era o meio mais rápido de se cumprir o trajeto Curitiba – Litoral durante a época colonial, por volta de 1625. Sendo assim, foi por muitos séculos, a principal ligação entre a planície litorânea e o alto planalto paranaense, desde o século XVII até a conclusão da Estrada da Graciosa em 1873 e a efetivação da Estrada de Ferro Curitiba – Paranaguá em 1885.

Seu trajeto iniciava no atual Largo Bittencourt (Círculo Militar), seguindo em direção leste passando pelo Bairro Alto, rio Palmital, Borda do Campo e adentrando-se na Serra do Mar Paranaense. Quase todo seu percurso é pavimentado com pedras, colocadas por escravos no período de 1625 – 1654 e apesar do calçamento original ser atribuído aos padres jesuítas, afirma-se que o dinheiro investido no Caminho do Itupava foi arrecadado através de uma espécie de pedágio da época, denominado “barreira”, construída nas margens do rio que deu nome ao caminho, o Rio Itupava.
O capital cobrado dos tropeiros e viajantes era destinado à manutenção do trecho serrano que, devido ao relevo acidentado, encarecia de estrutura. Seu ponto final é onde os rios Mãe Catira e Ipiranga se encontram e formam o Rio Nhudiaquara, onde os usuários do caminho seguiam pelos rios com pequenas canoas para Morretes, Antonina e Paranaguá, as principais cidades do litoral do Paraná que atualmente atraem muitos turistas devido ao seu charme, tranquilidade e suas características históricas, culturais e gastronômicas, principalmente! O trajeto proporciona contato íntimo com a natureza exuberante da Serra do Mar, passando por riachos de águas límpidas, árvores gigantescas, bromélias e orquídeas das mais variadas espécies, borboletas, pássaros, pequenos animais, belíssimas cachoeiras, paisagens maravilhosas e o prazer indescritível de caminhar na mata fresca e sombreada do trecho de Mata Atlântica mais preservado do Brasil.
Além das paisagens naturais, contemplem também as belezas construídas há muitos anos como a Casa do Ipiranga e sua antiga Usina com a Roda d´água e uma Cachoeira de tirar o fôlego. Após vem o trecho mais difícil da caminhada, um sobe e desce gigantesco pelas pedras sabão em um morros que testam a resistência física e perseverança. Neste trajeto o GPS perde o sinal nos deixando em dúvida quanto a certeza de estar os percorrendo o caminho certo. Logo depois chega-se ao Santuário de Nossa Senhora do Cadeado, onde Cerelepes vem ao encontro em busca de comida. Ali naquele local existia uma estrutura da Rede que diz a história, a princesa Isabel chegou a almoçar no local. Na privatização foi construído o Santuário onde repousa a imagem de Nossa senhora do Cadeado que guarda e protege todo o caminho. Continuando, o caminho desce até o sopé do morro e fica bem suave e podemos ver vários rios e Pontes Maravilhosas e o famoso Lagarto, uma raiz de árvore no meio da trilha que lembra o animal pela sua forma. A trilha termina em uma escada numa estrada e a esquerda continua o caminho que por pontos aflora o calçamento antigo. Ao chegar no IAP de Porto de cima segue a estrada até o final.
Em Quatro Barras, o Itupava é reconhecido como um dos principais pontos de visitação, fazendo parte do Roteiro Caminhos Históricos da Serra, juntamente com atrativos como a Estrada da Graciosa e o Morro do Anhangava, um dos principais campo-escolas de escalada do Brasil.

View more external

IAP Quatro Barras, aqui se faz a inscrição do grupo que fará a trilha. eles cobram lanterna.
Linda cachoeira
Daqui pode-se ver o complexo Marumbi

4 comentários

  • Foto de gvogetta

    gvogetta 4/dez/2017

    I have followed this trail  View more

    Boa postagem, ainda que repetida.
    Usando critérios objetivos de classificação para a dificuldade, entendo que é um percurso de nível moderado.

  • Foto de alexandresilvaspl

    alexandresilvaspl 26/fev/2018

    I have followed this trail  verificado  View more

    Trilha muito boa ,bem sinalizada
    Belas paisagens ,varias cachoeiras
    É cansativo mas vale muito apena

  • Foto de Rommel Fred

    Rommel Fred 3/jul/2018

    I have followed this trail  View more

    Desafiadora mais muito bonita, hoje em dia muito bem demarcada, a 15 anos atrás eu acampava na roda d'agua e o percurso atravessava os riachos por dentro deles pois não havia pontes pela, acampava tambem na Represa do Véu-da-Noiva. nunca tinha feito a travessia até ano passado 15-novembro-2017 adorei quero repetir a dose esse ano...

  • Foto de anab.axfreitas

    anab.axfreitas 17/nov/2018

    I have followed this trail  View more

    Caminho maravilhoso e bem sinalizado.
    Se preparem para muitas árvores caídas!
    O bastão de caminhada faz toda a diferença, se possível leve o par.

You can or this trail