Horas  2 dias 6 horas 46 minutos

Coordenadas 5324

Uploaded 28 de Abril de 2016

Recorded Março 2016

-
-
2.185 m
1.112 m
0
11
22
43,51 km

Visualizado 3311 vezes, baixado 196 vezes

próximo a Aiuruoca, Minas Gerais (Brazil)

Travessia de pouco mais de 40 km, cuja maior parte da rota utiliza o mesmo trajeto da Travessia Aiuruoca a Baependi. O ponto em que os trajetos se separam é nas proximidades da Cachoeira do Charco, quando se deve dirigir para o sentido Sul para chegar em Alagoa. Havia bons anos que não percorria o trecho!

É uma rota menos famosa que sua irmã Aiuruoca a Baependi, porém é muito bonita, permitindo observar o outro lado do Parque Estadual da Serra do Papagaio, um dos mais belos Parques de Minas Gerais. Ao virar a Serra para o Vale onde está a cidade de Alagoa obtém-se uma bela vista do Planalto de Itatiaia e parte da Serra Fina.

Atente-se para os seguintes:

► Normalmente a rota da Travessia Aiuruoca a Alagoa inicia nas proximidades do Vale do Matutu (há pelo menos 3 opções para iniciá-la), passa pelo topo do Pico do Papagaio, Pedra do Tamanduá, região do Pico do Bandeira, base do Pico do Canjica, Totem do Santo Daime e chega até a Cachoeira do Charco. Ao chegar na Cachoeira do Charco, cruza-se o rio pelo leito e continua a caminhada por uma trilha à margem esquerda do Rio do Charco até a ponte ao final do Vale das Araucárias. Neste ponto há duas opções de continuação da caminhada para chegar em Alagoa:
- A primeira é o caminho mais curto, seguindo pela velha estradinha até o Bairro da Bahia; depois Bairro do Moinho e findando em Alagoa.
- A segunda é um caminho mais longo; que para também atingir o Bairro da Bahia e seguintes, passa pela Sede do PESP.

Há ainda uma opção estendida para essa Travessia, que é passar pelas bandas da Sede do PESP, atingir o Pico do Garrafão e depois o Alto do Capoeirão, na LMG 881; ou mesmo prosseguir até o Bairro do Morro Grande em Itamonte.

► No caso da rota apresentada acima, no dia em que realizávamos, ao nos aproximamos da Cachoeira do Charco tornou-se impossível cruzar o Rio, pois chovia bastante, o rio estava cheio e a correnteza era muito forte. O barulhão da Cachoeira impressionava! Então, tomamos velhas trilhas pela margem direita do Rio do Charco, para atravessar com dificuldades um dos seus afluentes já um pouco acima da ponte do Rio do Charco, ao final do Vale das Araucárias.

► Nesta ocasião não fomos nem ao Pico do Bandeira, que fica cerca de 600 metros do Retiro dos Pedros; nem ao Pico do Canjica, cujo acesso parte do interior da maior mata percorrida na rota.

► Realizamos a rota apresentada em 3 dias, mas é perfeitamente possível realizá-la em dois dias, pois o trecho a partir da ponte do Rio do Charco é pequeno e percorrido através de uma velha estradinha, que atualmente está repleta de erosões e mato em vários pontos. Do Bairro da Bahia em diante é uma estrada vicinal comum. Em caso de opções via sede do PESP ou sequência para o Garrafão, em situações normais necessitaria de pelo menos 2,5/3 dias.

► Há água em vários pontos dessa rota, bem como inúmeras áreas propícias para acampar ao natural; bastando para isto se programar em relação à água.

► Do início da caminhada até o topo do Papagaio é uma subida constante.

► A partir do Pico do Papagaio a trilha é bastante suja em suas margens, com vegetação arbustiva em vários pontos. Há um longo trecho pelos sinais de uma antiga estradinha, que encontra-se deteriorada e com muito mato pelo seu leito.

► Pelo que pude observar, a antiga trilha que parte do Totem do Santo Daime, passa pelo interior da mata; cruza a estradinha (trilha normal) e segue em direção à Alagoa está se fechando pelo mato; creio que pelo pouco uso. Depois que a área transformou em Parque e o gado foi retirado do Parque, praticamente todas as trilhas sujaram bastante.

► Muito cuidado ao atravessar o Rio do Charco. A época ideal para passar por ali é no fim do inverno, quando o volume de água é bem menor. No verão, são grandes as chances de não haver passagem, sendo obrigado a seguir pela sua margem direita (como fizemos). E se estiver realizando Aiuruoca a Baependi pode ser que tenha que dar volta na ponte do Rio do Charco.

Leia no Blog Chico Trekking o relato dessa caminhada. Isto poderá ajudá-lo a melhor compreender esse tracklog.
Link abaixo

View more external

Esquerda-Sul Antiga Sa$da Alagoa - Direita-Norte Trilha para Daime pela Mata (esta trilha está se fechando pelo mato)
TrilhaBeiraCerca
Porteira - In$cio da Trilha prox S$tio do Saulo
EstradaVelha
Bairro Moinho
H2O - Adiante $ Direita Lapa/Grutinha
Direita: Sa$da para Sede PESP
DAIME
$ Direita Mirante Gamarra - Adiante Matinha
Esquerda - Trutario Matutu
Ponto de passagem do riacho
Dir Atalho Daime - Reto Continua Travessia. Prox sa$da Esq Estrada Matutu e H2O
Igreja Nh$ Chica - Fim Travessia
FimAntigaEstrada
H2O Bahia
Antiga Casa do Joaquim Lel$
Matutu $ Direita
Ponte Rio Charco - Esq Sede PESP Direita Cachu Charco
TrilhaCruzaRiacho - Quedinha - H2O
Fim Mata Contorno do Pico do Canjica
H2O
Longa Mata Contorno do Pico do Canjica
Retiro dos Pedros + Camp + H2O abaixo ao Sul - Oeste Rota Fuga Cachu Garcias - Pousada Lado de L$
AdianteVala e MuroPedra. Siga pela Esquerda
Pico do Papagaio
Bifurca$$o Pico do Papagaio - Descampado
VestigioAntigoRancho - H2O
Vale das Araucarias - Camp Natural
Tamandu$ ou Santu$rio
Totem Santo Daime - H2O na Est para Matutu
Direita H2O Pico Papagaio Pode secar Inverno
Esquerda Trilha Discreta - Subida Pico Bandeira
MataSubidaPapagaio
LocaisCampsPicoPapagaio - H2O adiante Direita - Pode secar Inverno
Direita Regi$o Bifur Para Pico Canjica
CachuCharco Abaixo - Na seca para alagoa Cruza o Rio e segue pela sua margem Esquerda
Escola da Bahia

4 comentários

  • Foto de Luís Felipe Backpacker

    Luís Felipe Backpacker 26/abr/2018

    Olá Chico, muito bom os detalhes no tracklog.
    Só uma pergunta: Há como chegar de carro até a sede do PESP pelo bairro Alagoa? Queria começar a trilha já na bifurcação, próximo a cachoeira do Charco.

  • Foto de rvsanches

    rvsanches 2/mai/2018

    Fala Chico
    Iriamos fazer a trilha até Baipendi mas não conseguimos atravessar o rio do charco que estava enchendo e avaliamos não ser seguro. A partir daí seguimos a tua trilha até Alagoa. Há alguns trechos um pouco chatos de atravessar como o rio dentro das Araucárias, no mais o trajeto foi tranquilo. Obrigado por disponibilizar a trilha!!! Grande abraço

  • Foto de Francisco Chico Trekking

    Francisco Chico Trekking 4/mai/2018

    Ei Luís, tudo bem?
    Sim, é possível ir até a Sede do Parque na Serra, mas acessando pela estradinha do Garrafão; que tem início na virada da serra do Capoeirão, divisa entre Alagoa e Itamonte (ponto diferente e não presente nesse tracklog). Lembre-se que o trecho é uma estradinha vicinal e pode exigir 4x4.
    Já pelo Bairro da Bahia (que percorremos ao final desse tracklog) você conseguirá subir de carro comum até as casas dos moradores; ou um pouco acima. Mais além pode ficar complicado, pois o acesso deteriorou muito; com erosões. E nesse caso só pra veículos preparados.
    Mas atenção: Antes de ir de carro até as imediações da Sede na Serra; ou mesmo acessar a Serra pela Bahia recomendo contatar o Escritório Sede do Parque via telefone e certificar dessas possibilidades; pois por ser unidade de conservação restrições de circulação de veículos são comuns!
    Bons ventos pra Ti, abraços

  • Foto de Francisco Chico Trekking

    Francisco Chico Trekking 4/mai/2018

    Fala Sanches, tudo bem contigo?

    Sim, é verdade!
    Antigamente por ali havia uma trilha batida, mas com a retirada do gado elas deterioraram e praticamente sumiram em alguns pontos. Isto faz que quem siga por ali em dias de chuva tenha que cruzar pelo menos dois pontos mais complicados; porém menores que o Rio do Charco, que realmente cresce sob chuvarada e não é recomendável enfrentá-lo!.
    Mas no seu caso, se tivesse tempo, vc poderia ter ido dar a volta na ponte de madeira; e depois seguido para Baependi... Aumentaria a pernada, mas seria pouco! De toda forma, bacana que terminaram bem!
    Muito obrigado pelo seu comentário e informação.
    Abraços

You can or this trail