• Foto de 2018-03-31 Dunas de Almograve [01 Circular][Trilho dos Pescadores][RotaVicentina]
  • Foto de 2018-03-31 Dunas de Almograve [01 Circular][Trilho dos Pescadores][RotaVicentina]

Dificuldade técnica   Fácil

Tempo em movimento  2 horas 24 minutos

Horas  5 horas 17 minutos

Coordenadas 1584

Uploaded 31 de Março de 2018

Recorded Março 2018

-
-
53 m
5 m
0
2,2
4,4
8,88 km

Visualizado 14 vezes, baixado 0 vezes

próximo a Almogarve, Beja (Portugal)

Dentro de la Rota Vicentina , la primera ruta circular se trata de un recorrido por las preciosas Dunas de Almograve.

Son algo más de 8km en los que se puede recorrer y disfrutar tranquilamente.

La información en portugués:

Este percurso circular é uma excelente opção para quem procura uma caminhada curta. Coincidente em parte do Trilho dos Pescadores, oferece uma perspectiva do lado agrícola da região e permite usufruir em pleno do trilho costeiro que segue junto ao vasto areal da praia do Brejo Largo.

Este percurso circular permite sentir uma das dicotomias mais marcantes do Sw Alentejano – conservação da natureza vs agricultura intensiva. A primeira é antes de mais um imperativo moral para com as gerações futuras, a segunda é uma prioridade para a sobrevivência económica das gerações actuais. A gestão desta dicotomia é um dos maiores desafios dos agentes locais e nacionais na actualidade.

A geomorfologia deste troço da costa e em particular na Foz dos Ouriços é notável. Dobras, falhas, discordâncias e extensas redes de filonetes de quartzo fazem das falésias um manual de geologia onde a história dos últimos 300 Ma do planeta é contada ao vivo.

A flora dunar é rica e perfumada – alecrim, rosmaninho, camarinheira, murta, aroeira, perpétua-das-areias e tomilho canforado, são algumas das espécies que marcam presença ao longo do percurso.

Nestas dunas abundam também os mamíferos, que constroem os seus sistemas de tocas sob as formações arbustivas densas da duna mais recuada. Os mais frequentes são o coelho, o sacarrabos (localmente designado escalabardo), a fuinha (também chamado papalvo), o texugo, a geneta e a lontra.

No troço mais interior do percurso observam-se vários charcos temporários, um dos habitats mais singulares e protegidos do Parque Natural, onde ocorre uma área de proteção do cágado-de-carapaça-estriada.

View more external

Comentários

    You can or this trail