Horas  3 dias 11 horas 35 minutos

Coordenadas 8144

Uploaded 20 de Agosto de 2017

Recorded Agosto 2017

  • Rating

     
  • Information

     
  • Easy to follow

     
  • Scenery

     
-
-
1.605 m
0 m
0
376
753
1.505,0 km

Visualizado 2470 vezes, baixado 116 vezes

próximo a Abade de Neiva, Braga (Portugal)

Picos da Europa
ESPANHA | 12/15.08.2017

Cordilheira Cantábrica
A Cordilheira Espanhola

A Cordilheira Cantábrica ou Montes Cantábricos é um complexo de montanhas ao norte da Espanha, que discorre paralelo ao Mar Cantábrico. Tem um comprimento de 480 km desde a depressão basca até o Maciço Galaico, passando pelos Picos da Europa. Wikipédia

Elevação: 2.648 m
Ponto mais alto: Torre de Cerredo
Província: Cantábria
País: Espanha

Viagem com início em Barcelos, e com destino à cordilheira dos Picos da Europa!

O percurso percorre sítios fabulosos, tais como:
O Parque Natural do Lago de Sanábria, o Parque Natural de Ancares e do Parque Natural de Somiedo até ao Parque Nacional dos Picos da Europa.

O Parque Natural dos Picos da Europa olha o mar. Cruzam-se aqui os ares do Cantábrico e os cumes altos das montanhas, as salamandras, os veados, os pastores de outros tempos e os lagos de origem glaciar.

VENS OU FICAS?
O Inverno é rigoroso, mas o espetáculo das altas montanhas cobertas de neve é soberbo. No entanto, o risco de não poder percorrer alguns dos percursos devido ao mau tempo e do nevoeiro ofuscar o brilho da paisagem justificam o planeamento da viagem para os meses de Primavera e Verão. O clima é mais ameno nesta ocasião, mas as temperaturas nunca sobem muito, arriscando-se mesmo alguns chuviscos em plena época estival.

E VAMOS A PÉ ?!?
O melhor é andar de carro ou, melhor ainda de todo-terreno. Mas também se alugam bicicletas e cavalos para passear. Há muitos percursos para caminhantes e alpinistas.

E QUE VAMOS NÓS FAZER….OU VER?
O Parque Natural estende-se pelo Principado das Astúrias e pelas Comunidades Autónomas de Cantábria e Castela e Leão, abrangendo a totalidade do maciço dos Picos da Europa e parte da Cordilheira Cantábrica. Divide-se em três zonas distintas, separadas por vales e rios: o Maciço Ocidental, com o Rio Sella a oeste e Cares a este e a que se acede por Cangas de Onís; o Maciço Central, que vai da Garganta do Cares ao vale do Duje, com acesso desde Cabrales; e o Maciço Oriental, entre Duje e Deva e a que se chega pela estrada de Panes.
No Ocidental, é imprescindível visitar Cangas de Onís (convém chegar a um domingo para desfrutar do tradicional mercado, onde se vendem queijos artesanais da região), uma localidade com antigos pergaminhos que é também um bom ponto de partida para percorrer o interior, dominado pela majestosa silhueta dos Picos da Europa. Se visitar a região em Agosto, pode descer o rio Sella de canoa, um dos maiores eventos europeus a este nível.
A 15 km de Cangas de Onís, Covadonga é outro dos pontos de partida para um dos percursos mais concorridos do Parque Natural. Aproveite para ver a Basílica de Santa Maria La Real, a estátua de Pelágio e a Santa Cova antes de subir, montanha acima, até aos lagos de Enol e Ercina, talvez a zona mais conhecida e frequentada do parque. Rumo ao Maciço Central, vale a pena parar em Arenas de Cabrales para admirar a magnífica igreja Santa Maria de Llas, do século XII.


Daqui pode partir-se até Poncebos, ou percorrer a rota de Cares. Em Poncebos, o funicular de Bulnes, dois vagões com lotação para 28 passageiros cada um, ligados por um cabo de aço, percorre as entranhas da terra até Bulnes, uma pequena aldeia até há bem pouco tempo apenas acessível por um caminho de cabras. Pode optar pela estrada que leva à garganta de Cares e a um dos mais famosos trilhos pedestres do parque e ainda à pitoresca aldeia de Camarmeña.
Finalmente, para conhecer o Maciço Oriental, pode partir de Panes, passando pela igreja Santa Maria e virar para Fuente Dé, de onde parte o teleférico para o Refúgio de Verónica e o seu miradouro de vistas deslumbrantes (prepare-se para a descida de temperatura).
OK!...OK!..E…QUE AI PRA COMER?
Bamos…Diz me tu!!
A gastronomia de Cabrales é incomparável. Um entrecot com molho de Cabrales é uma das especialidades mais afamadas da zona, a par da fabada asturiana e do cabrito assado. A sidra, que se verte bem do alto para os copos, é a bebida por excelência. Perto de Arenas de Cabrales, uma visita ao museu da Fundação Cabrales constitui uma excelente oportunidade para se ver de perto todo o processo de elaboração do queijo de Cabrales.
Si…Si…claro! Por supuesto!
Mas olha bem, porque há por aí proibições: O Parque Natural obedece a uma série de restrições que visam a conservação deste valioso património. Saiba, por exemplo, que a caça e a pesca estão proibidas, que em certos locais não são permitidos instrumentos que emitam sons capazes de perturbar a tranquilidade do parque e que as atividades recreativas organizadas com guia, as escaladas ou os itinerários equestres estão sujeitos a uma autorização condicionada pela direção do parque.

Criar memórias,
é inventar o Futuro!!

DIA 1 | Barcelos ** Ardisana |
Hotel Rural El Pandal

O Vale de Ardisana estrategicamente localizado entre o campo, ambientes rurais e do mar, é "El Pandal", com sua extensão de 70.000 m2, um lugar projetado para o relaxamento.

Imerso num bosque de centenários castanheiros, carvalho, faia, avelã, freixos ... e prados verdes, oferecendo infinitas possibilidades para o turismo e lazer, ideal para relaxar e desfrutar de cenários únicos.

Romântico, calmo, afastado, antigo, íntima, puro, natural ... com esses adjetivos que descrevem a natureza e a beleza de ser encontrado ao planejar alguns dias de folga.

"O Pandal" é uma casa de pedra, construído em 1800 convertido num pequeno e simples hotel de charme, pronto para entreter o viajante requintado, exigente, sensível e culto.

No piso térreo, um salão com lareira e um agradável jantar para os amantes da boa comida, onde além de pequeno-almoço fornecido pela cozinha tradicional de qualidade é servido e personalizado; pelo menos, dois dias, dependendo da preparação alimentar e a obtenção de matérias-primas.
A matéria-prima de cozinha tradicional com "El Pandal" é melhor qualidade, para além da sua própria e o país pimentão verde e torrado; cada um em seu tempo, bons tomates e outros produtos de nosso próprio jardim, bem como ovos, galinhas, bom queijo e nosso cordeiro, ovelha, carne de porco e outras carnes, obtido a partir do envelhecimento natural dos nossos animais. para não mencionar os deliciosos cogumelos (Russulas, boletos, cogumelos ...) obtidos em nossa floresta, que nós micorrizas reflorestamento que fizemos de faias, carvalhos e castanheiros e, além daquelas já possuía a vila e framboesas, groselhas, figos, ... da nossa produção para a produção de compotas.


DIA 2 | Ardisana ** Ardisana |
Hotel Rural El Pandal

Pormenores da Etapa

13 /08
(Domingo)
- 06h30 Locais - Despertar
- 07h00 Locais – Pequeno Almoço
- 07h30 Locais – INICIO Percurso Turístico CIRCULAR – 236 Km
com inicio e regresso ao Hotel El Pandal.


| Partida de Ardisana – Llanes ás 07h30 |


Direção a seguir e Way Points de passagem obrigatoria de interesse turístico e paisagístico:

- Arena de Cabrales (Las Arenas)
- Ponte de Poncebos
- Tielve de cabrales
- Sotres
- Bulnes
- Fuente Dé
- Posada de Valdeon & Cain de Valdeon (TRACK individual)
- Cangas de Onis

O Parque Nacional dos Picos de Europa é o mais antigo da Espanha, e nele se encontram os famosos Lagos de COVADONGA, bem como o mitico cume PICU URRIELLU


SOTRES
A Aldeia mais alta

Subir até SOTRES é um exercício básico para os amantes da paisagem e não poucos caminhantes e montanhistas que estão nesta aldeia o lugar perfeito para começar a subir rotas e lugares. Não é de surpreender que estamos a 1050 metros de altitude, uma das cimeiras humanos das Astúrias. A partir daí o universo Cabraliego pode ser visto com olhos diferentes, e as montanhas nos assaltam, quando o nevoeiro desaparece como realidades imponentes, cheia de lendas e atrativos.

BULNES
O Coração dos Picos de Europa

FUNICULAR DE BULNES

Agora, quando era última aldeia sem Astúrias acesso rodoviário subterrâneos acessível em apenas sete minutos. Isto é possível graças aos serviços de um funicular se movendo a cerca de 22 quilômetros por hora por um sistema de acionamento do cabo na pista.

Um elevador caro e controverso que para muitos significou romper o isolamento tradicional de Bulnes, e outros investimentos costumes sociais e ambientais infelizes e negativos do meio ambiente. Desde que o trabalho começou em 1998, o funicular foi cercado de controvérsia e protestos, incluindo desafios legais por grupos ambientalistas. Todos estes conflitos parecem ser mais, para melhor ou para pior, com o lançamento do novo transporte. Bulnes foi a apenas dois quilômetros de distância da cidade de Poncebos, ligados por um túnel subterrâneo através da Peña principal. A obra custou um colossal 12 milhões de euros.


O que ver em BULNES?

Controvérsias à parte, Bulnes vale a pena uma visita, por muitas razões, ou por teleférico ou a pé. Na aldeia uma atmosfera incomum, uma realidade rústico que dificilmente revelam uma dúzia de vizinhos e um número de casas asturianas, muitas em ruínas, incluindo sua paróquia respirar. As pessoas que agora vê reforçada a sua goza de alguns serviços turísticos, não populosa bar popular, comer um bom cassoulet e algumas outras acomodações para a noite.

Enquanto havia um lugar próximo, onde eles costumavam ir amantes de campismo da natureza e também o risco, porque Bulnes serve como um prelúdio para famoso Pico Urriellu (Naranjo de Bulnes), um desafio clássico para os escaladores de montanha de toda a península. A aldeia está situada em acessível 649 metros de altura, mas cercado por poderosos picos de 1.600 metros. As novas possibilidades de alojamento, e algum conforto extra agora predispor a outras estadias mais confortáveis que aqui nós não irá remover ou méritos ou motivos. Muito simplesmente o desejo de Desdeasturias.com, como muitos outros amantes das Astúrias da área, o uso e gozo deste chumbo enclave natural em todos os momentos respeito por seus habitantes e o habitat existente. Não negligencie esta aldeia, que atingiu mais de 50 pessoas vivem, foi fundada por pastores que um dia decidiram viver aqui permanentemente, dando-se muito. Desta forma, você não pode alcançar Bulnes desrespeitosa, quebrando um modo de vida assumida pelos montanheses, ou maltratar uma paisagem que eles cuidaram durante décadas.

FUENTE DÉ

No leste do extremo sul do Parque Nacional Picos de Europa é Fuente Dé, que não só é conhecida por sediar o Parador de mesmo nome, mas também como uma base para lançar passeios deste lado das impressionantes maciços calcários do Picos de Europa.
Aqui é o famoso teleférico Fuente Dé, que sobe em menos de 4 minutos por passageiros a uma altitude de 1850m com vistas estonteantes ao salvar uma gota de 750m.
É certamente uma boa opção para aqueles que querem dar um passeio através do Picos sem muito esforço ou realizar outras rotas que vão mais fundo no parque.
É aconselhável chegar cedo (09:00), porque ao longo do dia é mais provável para enfrentar a mudança, entrando no nevoeiro de forma rápida e prevenção com vistas espetaculares. Além disso, em fins de semana durante o verão pode Chaser pessoas na fila para subir.

Ao mais alto extremidade do cabo, chamado Aliva ponto de vista, há uma cafetaria grande que serve comida e bebidas também abriga uma pequena loja e terraço panorâmico.
A poucos quilómetros do ponto de vista é o Refugio Hotel ALIVA.

Visite CAIN DE VALDEON

CAIN é uma povoação peculiar pelo seu grande isolamento entre as enormes montanhas. Ainda mantém uma grande ligação aos animais (cabras e ovelhas) pois foram, até à bem pouco tempo, um dos seus principais pilares económicos.
Com os novos tempos CAIN teve uma transformação; a constante chegada de veículos e ainda a chegada/partida de caminheiros para o Percurso de Cares, fez com que os habitantes passassem a dedicar-se mais ao turismo e à restauração. CAIN é assim também, um símbolo para a RUTA DEL CARES.

Recomendações:
• Os acessos de carro a Caín são feitos por uma estrada estreita, seja prudente;
• Na temporada alta é importante chegar cedo (excesso de carros);
• Em épocas de verão deixar o carro em Posada de Valdéon;
• Apanhar Transporte de Posada de Valdéon até CAÍN

RUTA DEL CARES
Porquê fazer a Ruta del Cares?

A Rota del Cares é um dos percursos mais conhecidos dos Picos de Europa e localiza-se entre as províncias de Leão e Astúrias, em Espanha.
O percurso está situado num impressionante desfiladeiro que divide e separa os Picos da Europa. É o rio que divide os maciços, o ocidental e o central, ambos 2.000 metros acima do fundo do desfiladeiro, através do qual fluem as águas cristalinas do rio Cares.
O rio Cares (o qual dá o nome à rota) é uma presença constante ao longo dos 24 km do percurso (ida e volta) que separam os povoados de Caín e Poncebos, nas províncias de León e Astúrias, respetivamente.
Pode fazer-se apenas metade do percurso (12 km), mas para isso, é necessário providenciar transporte com antecedência, em empresas da especialidade que operam a partir de uma destas localidades.
Depois caminhar, aproximadamente 4 horas, irá chegar a uma das localidades (Caín ou Poncebos) onde a empresa estará à sua espera para o levar novamente ao seu alojamento. Estas empresas vão buscar os clientes em veículos todo-o-terreno (4X4), aos locais onde estão alojados ou em locais a combinar, transportando-os quer para iniciar o percurso, quer para regressar, no final do percurso. Antes de deixarem os clientes no início do percurso, os guias (motoristas) mostram vários locais importantes e miradouros onde o acesso só é possível neste tipo de viatura. Para além disso, falam também um pouco da história e curiosidades sobre o percurso.

DIA 3 | ARDISANA ** SOMIEDO – Parque Natural |
Hotel Rural El Pandal

Pormenores da Etapa

14 /08
(Segunda-Feira)

É MUITO IMPORTANTE que esta ETAPA do 3º DIA, começo logo bem cedo para podermos ir ate aos LAGOS DE COVADONGA, logo pelas 6h30 Locais (a arrancar de PANDAL), pois o transito é cortado as 8h e depois a visita só é possível através de autocarros.

Para irmos aos LAGOS de COVADONGA – Lago ENOL e ERCINA, e ao Santuário de Covadonga:
- Fazer desvio de percurso, IR e VOLTAR pela mesma estrada e retomar o percurso da TRACK PRINCIPAL

- 05h30 Locais - Despertar
- 06h00 Locais – Pequeno Almoço
- 06h30 Locais – INICIO Percurso: ARDISANA | FIM: SOMIEDO – 200 Km



| Partida de Ardisana (Llanes) ás 06h30 Locais Espanholas |



Picos da Europa
ESPANHA | 12/15.08.2017

DIA 3 | ARDISANA ** SOMIEDO – Parque Natural |

14 /08
(Segunda-Feira)

Direção a seguir e Way Points de passagem obrigatoria de interesse turístico e paisagístico:

- Inicio: Hotel El Pandal
- AVIN
- Desvio da TRACK para ir a COVADONGA – Lagos e Santuário:
- Logo após, VOLTAR pela mesma estrada e retomar o percurso da TRACK
PRINCIPAL
- Cangas de ONIS
- OVIEDO (Asturias)
- Belmonte
- Aguas Mestas
- La Riera
- Parque Natural de Somiedo

- POLA DE SOMIEDO – FIM DE ROTA – ESTADIA HOTEL CASTILLO DEL ALBA ***

- A visita aos LAGOS DE SOMIEDO (LAGOS DE SALIENCIA, com TRACK e
Voltar) pode ser, ou, no fim desta etapa, ou no inicio do DIA 4 – Regresso)

- O FIM DE ROTA DESTE DIA 3, É EM POLA DE SOMIEDO, no HOTEL CASTILLO
DEL ALBA ***

- Seguramente, deveríamos chegar a SOMIEDO mesmo a rasgar o fim do dia, de preferência entre as 17h/18 horas, por forma a optarmos pela seguinte estratégia, tendo em linha de conta a seguinte análise:

- Uma vez que,

O LAGO DEL VALLE - (localizado no Povoado de VALLE DEL LAGO), habitualmente confundido com o nome de Lago de Saliência por se localizar também muito perto da envolvência natural do vale, mas aquilo a que se define como LAGOS DE SALIENCIA ou ainda por LAGOS DE SOMIEDO, correspondem de facto a estes principais 4 Lagos:

- LAGO DE CALABAZOSA ou LAGO NEGRO (Aos 1655 metros)
- LAGO DE LA CUEVA (Aos 1580 metros)
- LAGO CERVEIRIZ (Aos 1550 metros)
- LAGOA DE ALMAGRERA ou “LA MINA” (1700 metros)

- Assim:

• No final do circuito do DIA 3, e já perto da chegada a SOMIEDO, faríamos a visita ao LAGO DEL VALLE, uma vez que sendo 15 Km até lá (e outros 15 Km para o regresso a SOMIEDO – ao Parador Penhavera, way point de Inicio desta track)
• E reservaríamos para o dia seguinte bem cedo: DIA 4 – O REGRESSO, para a deslocação ao ALTO DEL FARRAPONA para a caminhada de 3 km aos 4 Lagos de Saliencia / Somiedo:

DISTANCIA 22 Km pela SD-1:
Do Hotel Castillo Del Alba
(Hotel da nossa 3ª e ultima estadia - em Somiedo)

AO

Alto De la Farrapona (Inicio Caminhada)


DIA 3
DOMINGO – 13 AGOSTO
| POLA SOMIEDO – LAGO DEL VALLE |
Picos da Europa


ESCAPADINHA AO “LAGO DEL VALLE”
Monumento Natural e Reserva da Biosfera


Os LAGOS DE SALIÊNCIA formam um conjunto de 4 Lagos que se situam no concelho Asturiano de SOMIEDO, mais concretamente no PARQUE NATURAL DE SOMIEDO e são eles os seguintes:

- LAGO DE CALABAZOSA ou LAGO NEGRO (Aos 1655 metros)
- LAGO DE LA CUEVA (Aos 1580 metros)
- LAGO CERVEIRIZ (Aos 1550 metros)
- LAGOA DE ALMAGRERA ou “LA MINA” (1700 metros)

Na minha Track do ORUXMaps, o respectivo WAY POINT que está identificado como “Lagos de Saliênca”, é na realidade o WP de destino com o nome de: “LAGO DEL VALLE”, e que se deve corrigir!



Hora de Início: 08/12/2017 07:08

Hora de Fim: 08/15/2017 18:43

Distância percorrida: 1505,2 km (83:35)

Tempo em andamento: 26:32

Velocidade média: 18,01 km/h

Média em movimento: 56,73 km/h

Velocidade Máxima: 124,85km/h

Altitude Mínima: 0 m

Altitude Máxima: 1605 m

Velocidade de Subida: 789,3 m/h

Velocidade de Descida: -631,4 m/h

Ganho de altitude: 27517 m

Perca de altitude: -27594 m

Tempo de Subida: 34:51

Tempo de Descida: 43:42

View more external


Nome: Segment 1

Hora de Início: 08/12/2017 07:08

Hora de Fim: 08/12/2017 16:43

Distância percorrida: 604,1km (09:35)

Tempo em andamento: 06:49

Velocidade média: 62,97km/h

Média em movimento: 87,23km/h

Velocidade Máxima: 124,85km/h

Altitude Mínima: 0m

Altitude Máxima: 690m

Velocidade de Subida: 1726,9m/h

Velocidade de Descida: -2115,3m/h

Ganho de altitude: 7269m

Perca de altitude: -7154m

Tempo de Subida: 04:12

Tempo de Descida: 03:22

FIM DE ROTA
Nome: Segment 1

Hora de Início: 08/12/2017 07:08

Hora de Fim: 08/15/2017 18:43

Distância percorrida: 1505,2km (83:35)

Tempo em andamento: 26:32

Velocidade média: 18,01km/h

Média em movimento: 56,68km/h

Velocidade Máxima: 124,85km/h

Altitude Mínima: 0m

Altitude Máxima: 1605m

Velocidade de Subida: 789,3m/h

Velocidade de Descida: -631,4m/h

Ganho de altitude: 27517m

Perca de altitude: -27594m

Tempo de Subida: 34:51

Tempo de Descida: 43:42

5 comentários

  • Foto de ParolaGoncalves

    ParolaGoncalves 22/ago/2017

    Olá.
    Obrigado pela partilha.
    Excelente descrição, com todos os pormenores.
    Muito obrigado

  • Foto de Paula Abreu

    Paula Abreu 23/ago/2017

    Olá bom dia!
    Agradeço a simpatia da sua mensagem, ao que igualmente recomendo, seguramente, uns 5 a 7 dias, para um melhor aproveitamento de toda esta fantástica riqueza natural e paisagística!...
    Obrigada!

  • Saltamontes 4x4 3/jan/2018

    ... Y el que no sea del BNGA que se jo.., por no saber hablar un dialecto que solo lo conocen algunos gallegos. Que pena de nazionalisos!!

  • Saltamontes 4x4 3/jan/2018

    No es una ruta de 4x4, se puede hacer con un Smart

  • Foto de Jorge Maia Marques

    Jorge Maia Marques 23/mar/2018

    Excelente descrição e certamente interessante para passear...mas chega a ter algum TT?:D

You can or this trail