Coordenadas 909

Uploaded 17 de Julho de 2016

Recorded Julho 2016

  • Rating

     
  • Information

     
  • Easy to follow

     
  • Scenery

     
-
-
1.140 m
921 m
0
2,2
4,5
9,0 km

Visualizado 3958 vezes, baixado 96 vezes

próximo a São Vicente, Minas Gerais (Brazil)

O trajeto é um misto de estrada de terra e trilhas, com curtos trechos percorridos a pé, para acessar a cachoeira das Borboletas e as outras três cachoeiras formadas pelo Córrego da Serra (se minha leitura da carta do IBGE está correta): Abacaxi, Cruzado e outra que desconheço o nome.

COMO CHEGAR:

Para chegar ao início do trajeto, saindo de Belo Horizonte, siga para Ouro Preto (BR-356/Rodovia dos Inconfidentes). Depois de Itabirito e antes do distrito de Cachoeira do Campo, entre à esquerda no trevo para Acuruí/Glaura/APA Andorinhas. O trevo é sinalizado e a entrada fica em frente a um radar da rodovia.

Do trevo são 13,6km (segundo Google Maps) por asfalto em condições medianas até o ponto de início do tracklog. A entrada da estrada de terra está sinalizada com placas indicando as cachoeiras Carrancas e Cascalho.

A ESTRADA/TRILHA:

O trecho inicial está em boas condições para qualquer tipo de veículo. A partir da bifurcação Borboleta/Cruzado, o trajeto para a cachoeira do Cruzado está em condições medianas, piorando no fim. A recomendação é não ir em veículo de passeio até o ponto estacionamento, pois a subida na volta pode ser complicada.

Para cachoeira das Borboletas a estrada continua em boas condições até o KM 2,8 do trajeto, onde pegamos à esquerda na bifurcação. A partir deste ponto as condições ficam críticas para carros de passeio. Os 1500m finais para a cachoeira das Borboletas, aparentemente, tem pouco tráfego. Há pequenos arbustos crescendo entre os trilhos de pneu. A dificuldade técnica no trecho final é baixa, qualquer veículo com tração 4x4 consegue superar, não sendo necessária nenhuma preparação ou pneu especial.

O "estacionamento" para a a cachoeira das Borboletas é um descampado, com poucas sombras. A trilha continua bem visível a frente, mas somente a pé. São cerca de 250m com um importante desnível até o poço da cachoeira. Qualifico a trilha como moderada para os iniciantes na atividade, já que a descida até o poço merece atenção. Atenção também nos trechos em que a trilha passa por rochas expostas ou lajes, onde é possível desviar do "caminho certo".

O poço da Borboleta possui tamanho médio, mas muito raso. É possível chegar embaixo da queda com facilidade. Local bom para crianças, embora o acesso não seja tão fácil para elas. Durante o inverno o Sol ilumina somente uma pequena parte do poço, próximo a queda.

O estacionamento para a cachoeira do Cruzado fica em um curral de pedras, onde há uma pequena construção ao lado, talvez uma portaria. De lá são 500m por trilha bem batida e de fácil orientação até o poço da cachoeira.

O poço é grande e a profundidade vai aumentando gradativamente, ótimo para nadar. Durante o inverno o Sol ilumina uma pequena parte do poço, próximo as margens, o que dificulta o banho no local. Água geladíssima! Do outro lado do rio há uma outra trilha de acesso ao poço, que pode ser acessada no KM 1,9 deste track. Também há uma trilha que leva ao topo da cachoeira do Cruzado e a outras duas cachoeiras a montante.

O poço da segunda cachoeira deste complexo só pode ser acessado por caminhada pelo leito do rio, que apresenta pouca profundidade neste trecho, a partir do ponto "Topo Cruzado". A primeira queda, denominada Abacaxi, tem acesso por trilha bem batida e de fácil orientação. A queda é pequena e o poço raso fica entre duas paredes, local bem aconchegante.

CONSIDERAÇÕES:

> Em Julho/2016 a entrada nos locais era gratuita, já que as tronqueiras estavam abertas e não havia contole. Quando retornei no verão, as tronqueiras estavam trancadas com um cadeado e havia um senhor cobrando a entrada a cerca de 800 metros da saída da estrada. Parece que agora os carros estão sendo para o restaurante que existe na região, devendo as trilhas serem feitas a pé;

> No tracklog proposto, não há qualquer infraestrutura no local, devendo o visitante levar água e lanche;

> Não me atentei para o sinal de celular, mas como é uma área baixa e há o paredão da Serra Ouro Fino à leste, é bem provável que não tenha;

> Carrapatos no caminho, principalmente na trilha que leva a parte alta da cachoeira do Cruzado;

> Passeio de nível fácil, as trilhas são curtas e a maior parte do deslocamento é feita de carro. Pessoas sedentárias devem se atentar para a trilha que desce para a cachoeira das Borboletas e a que sobe para o topo do Cruzado, essas exigem um maior esforço físico.

> Mais detalhes no link abaixo \/

View more external

Acesso pelo rio até o poço da segunda queda
Início trilha a pé

2 comentários

You can or this trail