Baixar

Distância

29,83 km

Desnível positivo

280 m

Dificuldade técnica

Moderada

Desnível negativo

280 m

Elevação máx

125 m

Trailrank

52

Elevação min

5 m

Tipo de trilha

Circular

Hora

3 horas 56 minutos

Coordenadas

2842

Enviada em

8 de dezembro de 2013

Registrada em

dezembro 2013
Seja o primeiro a aplaudir
2 comentários
Compartilhar
-
-
125 m
5 m
29,83 km

Visualizado 2028 vezes, baixado 32 vezes

perto de Cabo, Pernambuco (Brazil)

Consideramos a trilha que segue a margem Nordeste do açude do Rio Gurjaú como uma das mais belas da Região Metropolitana do Recife para os amantes do 'mountain bike', daqueles que gostam mesmo é de mato, lama, ladeiras e descidas, banhos de bica e paisagens de tirar o fôlego. De fato ela é uma continuação de uma trilha que começa margeando ao sudoeste o açude do Rio Sacupema. São praticamente 5 (cinco) kilômetros num 'tunel' de Mata Atlântica, com vista para ilhas e barragens, muita árvore frondosa, formigueiros incríveis de grande, natureza bem preservada e bem pertinho de nós.

Antes da seca medonha dos últimos dois anos, ano passado e início de 2013, nosso grupo passou por lá. O local fascinava, mas a marca cruel se fazia presente: dava prá vir pedalando pela margem do leito seco do lago do Sacupema!, do começo ao fim. O balde do açude estava todo exposto.

Sempre que planejamos uma trilha levamos em conta qual a previsão de horário para atravessar determinado trecho. A trilha do Gurjaú merece o fim da manhã, pois suas sombras serão um refresco para o sol inclemente. De modo geral, tomando-se como referência a Usina Bom Jesus, segue-se na direção Oeste, no sentido horário, até chegar ao início do Sacupema. Observando atentamente umas fotos de satélite da região percebemos que era possível chegar pelo lado oposto. E assim foi.

Partindo da Bom Jesus seguimos desta vez para Leste, num percurso inédito. Pouco depois da partida, o primeiro perrengue: o trajeto que beirava um lago de vinhoto teve que ser feito 'no tato' porque um sítio tomara a trilha planejada com plantação de mandioca. Cerca de 2 km depois retomamos, já subindo pela borda de uma mata com muitas da árvore favorita, o Visgueiro (Parkia pendula). Da ladeira avista-se o Hospital Don Helder, com Suape e praia do Paiva no horizonte: biscoito fino!

Vencida a transição entre o nível de 30 metros do litoral e o alto em cerca de 100 metros vem a fase dos engenhos da década de 1930: Rochas Velhas, Rico e Salvador, sempre subindo e descendo, cortando canaviais e matas. Pelo caminho, incontáveis nascentes.

A parada para recompor as energias aconteceu às margens do açude São Salvador: uma macaxeira com carne de sol e guisado, regada à Coca-Cola. Daí foi só montar nas magrelas para em seguida percorrer o trecho da trilha tão esperado. Para nossa grata surpresa toda a região das duas represas está complemente alagada, ambas em cota máxima, uma 'belezura!'.

Chegamos todos com o sorriso estampado.
Árvore

P. pendula

Visgueiro
Lago

Acude

Acude Engenho Rico

2 comentários

  • Foto de Sérgio Cunha (Turma do Pedal - PE.)

    Sérgio Cunha (Turma do Pedal - PE.) 9 de dez de 2013

    show de bola meu historiador. bons comentários faz de você um professor nato. parabéns e vamos que vamos.

  • Foto de HAROLDO CAVALCANTI (Turma do Pedal-PE)

    HAROLDO CAVALCANTI (Turma do Pedal-PE) 9 de dez de 2013

    Obrigado, Sérgio.

    Eu esqueci de acrescentar, como você bem notou no trajeto, que ouvimos muito canto de sabiá, diversas vezes.

    Talvez seja o clima da Primavera!

Você pode ou esta trilha