-
-
871 m
804 m
0
2,0
4,0
7,98 km

Visualizado 697 vezes, baixado 42 vezes

próximo a Vila Santo Antonio, Minas Gerais (Brazil)

Circuito misto de mountain bike dentro da UFMG, percorrido no sentido anti-horário. No geral, uma trilha fácil, com alguns trechos em single track e algumas descidas ou subidas mais técnicas. Ideal para quem está iniciando no MTB ou quer treinar dentro da cidade.

A UFMG possui diversas portarias, a principal é a da avenida Antônio Carlos, é também a portaria onde o tracklog se inicia. Dentro da universidade existem diversas áreas de estacionamento, onde é possível deixar o veículo com segurança. Durante a semana, as portarias estão abertas de 6h as 21h. Nos sábados de 6h as 14h. Nos domingos/feriados e fora dos horários citados, a entrada é controlada.

DESCRIÇÃO DO CIRCUITO:
O cirtuito tem início em frente à Escola de Belas Artes (EBA), próximo a portaria principal. De lá segue-se para a Mata da Música, um trecho de terra que fica bem úmido em época de chuva. Após margear o depósito de materiais da UFMG, cruza-se o calçamento para iniciar um curto trecho de single. Fique atento ao ponto para entrar à esquerda na mata. Saindo do single, cruza-se o calçamento mais uma vez. Aqui é bom pegar embalo, pois há uma forte subida adiante. Caso não consiga subir, é possível seguir à direita até um ponto em que o barranco fica menor.

Depois de subir o barranco, entra-se à esquerda na primeira saída. Mantenha à esquerda também na bifurcação, aqui se inicia uma descida rápida em single. Ela finaliza quase que no mesmo ponto que precede a subida do barranco. Depois de subir um pouco pelo "passeio" de terra, toma-se à direita em um single que leva àquela primeira bifurcação. Voltamos um pouco pelo caminho e tomamos à esquerda próximo a cerca da Av. Abrahão Caran, uma extensa subida, mas sempre no mesmo ritmo.

Ao final da subida, chega-se ao canteiro de obras próximo a portaria, no fim do canteiro há uma descidinha bem rápida e começa um trecho por estradinha com várias "lombadas". Depois de uma rápida descida, cruza-se o calçamento perto da rotatória e começa uma subida um pouco puxada, mas curta. Ao final do aclive toma-se à esquerda, uma descida rápida que termina em um single track técnico.

O declive termina próximo à Biblioteca Central e ao CAD. Segue-se pelo passeio ou calçamento por uns 600 metros até reencontrar a trilha, próximo a Faculdade de Farmácia. Neste ponto é uma subida que começa tranquila mas que gradualmente vai ficando mais forte, um ótimo trecho para avaliar a condição física.

O final da subida é o ponto mais alto do circuito. Depois dele começa uma das partes mais interessantes do trajeto, que é uma rápida descida em single track com uns 500 metros de extensão. Após o bandejão, fique atento: ao invés de descer pelo caminho mais batido e erodido, siga por uma trilha à direita, próximo a cerca. CUIDADO AO FINALIZAR A DESCIDA: ela é bem forte e termina direto na rua. Embora seja um local de pouco movimento, é bom se atentar para o trânsito de pedestres e veículos (inclusive ônibus).

Após a descida, segue-se o sentido da rua, margeando a cerca à esquerda. Próximo a uma portaria que fica trancada, há um single track que desce margeando a cerca da rua. ATENÇÃO COM OS ARAMES: há cercas transversais cujos arames superiores não foram retirados. Não é preciso de abaixar para passar, mas é bom ter cuidado. Risco de vida.

No final do single há uma portaria, aqui começa uma subida leve, sem trilhas, até outra portaria da UFMG. Após a portaria tem início um trecho gramado sem trilha aparente, mas logo é interceptada uma trilha que margeia a cerca. Há uma pequena subida por single track, sucedida por uma descida moderada, também em single track. Ao final chega-se a uma área de compostagem da UFMG. Segue-se pela esquerda (pela rua) até encontrar uma entrada à direita, para pedestres. Após descer pelo caminho dos pedestres, entra-se à esquerda no calçamento, seguindo por ele até encontrar a entrada do single track, 400 metros depois.

O single track final tem cerca de 800 metros de extensão, uma plaquinha no caminho nomeia o local como "Trilha do Pikachu". A trilha é bem fechada, mas mesmo assim é de baixa dificuldade, já que a velocidade de deslocamento neste trecho não é muito alta. Existem algumas bifurcações pelo caminho, mantenha sempre à direita. O single termina próximo a cerca da Av. Antônio Carlos, de lá é só descida até reecontrar a portaria principal e o ponto de partida do circuito.

OBSERVAÇÕES:
- Considero o pedal, de uma forma geral, na UFMG como seguro. Sempre ando sozinho por lá e nunca cheguei nem perto de ter problemas. De qualquer forma, existem alguns grupos pedalando por lá frequentemente, inclusive fazendo trilhas noturnas;
- Existem banheiros e bebedouros em quase toda extensão da rota, já que sempre estamos passando por algum prédio da universidade;
- Nos dias de semana, até as 21h, é possível comer nas cantinas de alguns prédios;
WAYPOINT 6

Comentários

    You can or this trail