Horas  5 horas 49 minutos

Coordenadas 3907

Uploaded 9 de Agosto de 2016

Recorded Agosto 2016

-
-
1.452 m
706 m
0
15
30
60,35 km

Visualizado 1190 vezes, baixado 32 vezes

próximo a Conceição do Mato Dentro, Minas Gerais (Brazil)

"Passeio" de bigtrail, saindo das proximidades do povoado de Três Barras, em Conceição do Mato Dentro-MG, e cortando pelo alto da serra até Santana do Riacho.

COMO CHEGAR:
O ponto inicial da rota é na rodovia MG-010, no trevo de acesso ao povoado de Três Barras e também à cachoeira homônima. Desde Belo Horizonte são cerca de 150km por estrada asfaltada e em boas condições. Atente-se para o trecho sinuoso entre Serra do Cipó e o início do trajeto.

A TRILHA:
Os 11,8km iniciais são de estrada em boas condições e os 9,5km finais são de estradão. Os 39km entre essas duas partes são de puro fora de estrada, com travessia de rios e córregos, trechos erodidos, valas, areia, rochas, pedras soltas, aclives e declives acentuados.

Fomos em seis motos, uma Tornado 250, XRE 300, Sahara 350, Freewind 650 e duas DRs 650. Nenhuma preparada para trilha. De pneus misto a 100% asfalto. Todas as motos sobreviveram o passeio, claro que a Freewind, mais baixa e com pneus street, foi a que mais penou. Proteção inferior é quase que item obrigatório para percorrer essa trilha.

O trecho inicial é praticamente só subida. A estrada está em boas condições, mas está coberta por uma grossa camada de "talco". No fim da primeira parte há uma placa indicando o Parque Natural Municipal de Tabuleiro, onde começam as trilhas que dão acesso a parte alta da cachoeira. Neste ponto também começa um curto single track e aparecem os primeiros trechos de pedras soltas e sobre rochas expostas.

Passada a bifurcação do KM 15,2 começa o trecho pelo alto da Serra do Abreu, que vai margeando a cerca que demarca o Parque Estadual. Visual do Pico do Breu e do vale do Rio Parauninha é fantástico. A estrada neste ponto está muito boa, praticamente um estradão. Cruzamos com a trilha da travessia Lapinha x Tabuleiro neste momento.

Após o cruzeiro há uma bifurcação, o caminho da direita, em melhores condições, segue para alguns ranchos. A descida até o vale do Rio das Pedras está meio escondida atrás de um monte de terra, provavelmente usado para manutenção da estrada.

A descida após o cruzeiro está em péssimo estado, com valas, erosões e pedras soltas. Cuidado!

Após a descida começa um trecho também muito bonito e com relevo suave. É praticamente um single track, pois, ou se anda no trilho da esquerda ou da direta, sem contar quando aparecem três ou mais trilhos paralelos. O trecho parece bem firme, mas não dá pra se empolgar muito, de surpresa aparecem valas, buracos e trechos arenosos.

Cruzamos um dos afluentes do Rio das Pedras, praticamente um oásis no meio do caminho, oferecendo sombra e água fresca. Logo depois atravessamos o próprio Rio das Pedras, ainda pequeno, um curto trecho de lajeado e rochas expostas. A terceira travessia vem logo em seguida, bem mais tranquila que a segunda.

No KM40 parada obrigatória no Rio das Pedras, que forma a cachoeira Bicame mais abaixo, para descansar e se refrescar. Embora mais caudaloso neste ponto, a travessia do rio é tranquila, pois cimentaram o fundo da passagem.

Após o Rio das Pedras entramos no terreno da RPPN Ermo dos Gerais. A subida começa bem leve e assim permanece até próximo de um capão de mata. Aqui é a parte mais difícil do trajeto, uma subida bem íngreme por pedras soltas. São dois lances de subidas. 100 metros de elevação em 600 de trilha. Ao menos o trecho é sombreado.

Vencido o trecho mais crítico, começa uma suave descida, mas também com muitas pedras soltas e erosões, que só termina no trevo de Lapinha da Serra (esquerda) e Santana do Riacho (direita).

No KM47 saímos da RPPN, daqui em diante o trecho fica bem tranquilo, virando um estradão após o trevo. Até Santana do Riacho o estradão possui um movimento considerável de veículos no finais de semana, no período da seca a poeira tira toda a visibilidade.

CONSIDERAÇÕES:
> O trajeto é realmente DIFÍCIL, não recomendado para iniciantes;

> Não recomendo ir sozinho, uma mãozinha ajuda demais na subida de pedra;

> Porteiras destrancadas por todo o percurso, lembre-se sempre de fechá-las após a passagem;

> Em hipótese alguma faça fogueiras, principalmente no período de seca, também tenha cuidado para não provocar um incêndio. Passamos por pequenos focos no trecho pelo alto da Serra do Abreu;

> Viaturas 4x4 NÃO CONSEGUEM completar este trajeto, as porteiras destrancadas da RPPN são estreitas e não permitem a passagem de veículos grandes. 4x4 podem chegar até o Rio das Pedras, recomendável pneus, proteções inferiores e cautela. Viaturas mais altas podem ter mais facilidade para vencer os trechos sobre rochas expostas e com pedras soltas.

> Leve seu lixo de volta!

> Visual espetacular em boa parte da rota;

> É possível que tenha sinal de celular nos trechos mais altos;

> Água somente na parte final do trajeto, nas cabeceiras do Rio das Pedras.
Saída da rodovia MG-010
Após porteira

3 comentários

  • Foto de Vinícius Miyazaki

    Vinícius Miyazaki 15/ago/2017

    Oi, Hélio! Estou pensando em realizar o percurso de bicicleta MTB. Acha que é possível?

  • Foto de Hélio Jr

    Hélio Jr 15/ago/2017

    Olá Vinícius! É totalmente possível, todo o trajeto é feito por estradinha e há sómente alguns trechos de single track. Como passamos de moto, acredito que não terá problemas em passar de MTB. Terá pelo menos um trecho de empurra bike, que é uma subida após o Rio das Pedras, mas é trecho curto.

  • Foto de Vinícius Miyazaki

    Vinícius Miyazaki 15/ago/2017

    Show, Hélio! Estou planejando uma Road/Bike trip entre a Serra do Cipó e a Canastra e percebi que tem muita coisa sua aqui no Wikiloc. Estou baixando tudo e vou analisar no mapa pra montar um roteiro que misture deslocamento com carro e MTB. Obrigado!

You can or this trail