Dificuldade técnica   Difícil

Horas  18 horas 38 minutos

Coordenadas 1732

Uploaded 7 de Abril de 2015

Recorded Abril 2015

  • Rating

     
  • Information

     
  • Easy to follow

     
  • Scenery

     
-
-
1.878 m
962 m
0
2,1
4,1
8,22 km

Visualizado 3476 vezes, baixado 291 vezes

próximo a Sítio Cerro Verde, Paraná (Brazil)

(Mais um) tracklog ao Pico Paraná. Trilha realizada em dupla no feriado de páscoa de 2015.

Lembro de ter visto o acrônimo highway em algum lugar e achei muito adequado para caracterizar esta que é a trilha mais utilizada de acesso ao PP, devido a grande degradação que sofre pelo falta de gestão adequada do Parque Estadual ao qual o Pico pertence, e também porque "alta"-estrada faz sentido em vários trechos da trilha, haha...

O PP é reconhecido por ser o ponto mais alto do sul do Brasil, com 1877m. Essa fama acabou ocasionando em um efeito "Everest", que popularizou tremendamente o local e encheu o mesmo de gente despreparada e sem noção. Também o tornou palco de várias outras polêmicas, envolvendo cobranças de acesso, gestão do Parque Estadual, colocação e retirada de grampos, etc.

Para quem deseja realizar a subida, além das recomendações usuais (algumas citadas no anexo final), considero essencial a visita e leitura criteriosa dos seguintes links:
http://fazendapicoparana.altamontanha.com/parana.asp
http://amontanha.com.br/tudo-sobre-o-pico-parana/
Relatos do http://www.mochileiros.com/
Vale a pena realizar outras pesquisas, há muito material (inclusive científico) interessante sobre a montanha mais pop do sul do Brasil. As partes históricas merecem destaque.

Para quem subiu pela primeira vez entre 1996 e 2009, alerto que vários dos grampos foram retirados para dificultar o acesso à montanha.

Considerando: Trilhas degradadas, apresentando forte erosão e raízes expostas em alguns pontos; clima instável e com grande chance de temperaturas muito frias; exposição a grandes elevações; trechos de escalada na rocha com auxílio de grampos e/ou correntes; trilha bem marcada, porém com várias bifurcações; sinalização existe, porém é insuficiente em alguns trechos e não segue padrões; considero esta trilha como DIFÍCIL (com clima favorável).
*Esta classificação prioriza a dificuldade técnica.

Ou seja, PP NÃO É PASSEIO. Na dúvida, realize outras montanhas próximas na região de mais fácil acesso antes de realizar o PP, (neste mesmo local há como opções morros como Getúlio, Itapiroca, Caratuva, etc..), sempre acompanhado de pessoas experientes e seguindo todas as recomendações de responsabilidade em ambientes naturais, além das regras inerentes ao Parque Estadual.


CONHEÇA PARA PRESERVAR
Os ambientes naturais são patrimônio de todos, e quaisquer atividades realizadas neles apresentam uma série de riscos. Aproveite-os com responsabilidade:
0- Procure sempre ir acompanhado de alguém que conheça a trilha e região, e deixe pessoas avisadas em casa sobre seu destino e horário previsto de retorno.
1- Traga de volta todo o lixo produzido (inclusive biodegradável) e destiná-lo corretamente;
2- Evite provocar incêndios – não faça fogueiras; não jogue fora pontas de cigarros e
cacos de vidro;
3- Não colete plantas (mudas, sementes ou flores secas), animais, rochas ou cristais;
4- Não moleste animais silvestres; não ofereca ou deixar restos de alimentos e não pesque;
5- Evite fazer barulhos desnecessários; não use aparelhos de som;
6- Ande sempre nas trilhas habituais, evitando a erosão em trilhas alternativas;
7- Não deixe marcas em troncos e pedras;
8- Evite desmoronamentos ao entrar e sair de rios, não jogue nada neles;
9- Não entre acompanhado de animais de estimação
10- Não leve bebidas alcoólicas, explosivos, fogos ou armas de fogo ou de
pressão;
11- Não faça uso de sabonetes e shampoos ao entrar nas águas;
12- Tome cuidado com animais peçonhentos, como cobras, aranhas e escorpiões;
13- Em caso de raios evite árvores isoladas e locais encharcados;
14- Muita atenção ao horário de retorno (variável de acordo com a estação), leve SEMPRE lanterna e baterias sobressalentes.
15- Lembre-se: em ambientes naturais há riscos de diversos acidentes e a fadiga pode favorecê-los. Boa parte dos acidentes ocorrem no retorno (70%), leve sempre consigo um kit de primeiros socorros, apito, e celular desligado (preserva a bateria);
16- Ao atravessar ou banhar-se em rios e cachoeiras tenha consciência que os mesmos podem subir repentinamente. Isso pode gerar situações perigosas, ilhando ou até arrastando as pessoas. Mesmo não chovendo no local, chuvas a acima podem provocar cheias, conhecidas por trombas d’água;
17- Atenção com a viração, nevoeiro repentino que ocorre principalmente em ambientes montanhosos, e que reduz fortemente a visibilidade.
(adaptado de "Termo de Responsabilidade - PARNA Aparados da Serra")
Local de acampamento para várias barracas. Mesmo assim, em fins de semana e feriados costuma estar lotado, assim como os outros acampamentos
  • Foto de A2
  • Foto de A2
Local de acampamento para várias barracas. Mesmo assim, em fins de semana e feriados costuma estar lotado, assim como os outros acampamentos. É o último ponto de acampamento grande antes do cume, próximo a uma fonte de água intermitente e a um antigo abrigo de pedra em ruínas
  • Foto de Acampamento Getúlio
Local de acampamento protegido próximo à Pedra do Getúlio
  • Foto de Agua 4 (atenção - fonte intermitente)
Bica de água que pode estar seca ou com pouco fluxo em épocas de estiagem. De acordo com relatos, a qualidade também pode piorar de acordo com o fluxo, na dúvida utilizar pastilhas de purificação. O acesso é bastante exposto à esquerda, muito cuidado especialmente com pequeno trecho de escalada em rocha. Atenção também para NÃO pegar a bifurcação a esquerda logo após a casa de pedra.
  • Foto de ATENÇÃO Degrau
  • Foto de ATENÇÃO Degrau
Um dos trechos mais técnicos da subida, paredão de pedra transporto através de cordas, grampos, e técnicas básicas de escalada. Há vários outros pontos até o Pico, mas considero este o mais difícil.
  • Foto de Bica - Água 1
Bica de água com pequena piscina artificial
  • Foto de Cruzo Itapiroca ou PP
Indicado por placa
  • Foto de Cruzo PP ou Caratuva
Indicado por placa
  • Foto de Cume PP
1877 m
  • Foto de Fazenda PP
Estacionamento na Fazendo do Dílson, funciona das 7:00 as 22:00 Valores: 7:00 as 18:00 - 10,00 R$ 18:00 as 22:00 - 15,00 R$ Fechado em outros horários. Há estrutura de camping e banheiro com chuveiro quente
  • Foto de Janela PP
Uma das primeiras janelas ao PP, no local há espaço para uma barraca, sendo um possível camping de emergência
Pequeno lago perene *Agua não potável
Um dos primeiros mirantes
Rio geralmente avermelhado devido a quantidade elevada de ferro. Segundo relatos, o excesso de ferro pode causar diarréia.
  • Foto de Rio - Água 2
Riacho com água potencialmente potável, preferencialmente utilizar pastilhas purificadoras.

23 comentários

  • Foto de Marcieli Dácio

    Marcieli Dácio 28/Jul/2015

    A trilha do Pico Paraná é extremamente exigente e exige preparo físico. O começo da trilha é bem tranquilo, e conforme se vai subindo a trilha vai ficando mais difícil. Chegando quase ao fim, possui um trecho de "escalaminhada", que são alguns ferros presos à rocha que auxiliam a subida. A vista lá de cima é fenomenal e vale muito a pena o esforço.

  • Foto de Anne Caroline Negrão

    Anne Caroline Negrão 30/Ago/2015

    I have followed this trail  View more

    Esse trekking foi um dos mais difíceis que fiz, não só pelo desgaste físico, mas pelos trechos com grampos e passagem por pedras cercadas por abismos que dão bastante medo, mas a adrenalina é compensadora! Sensacional acampar no pico, admirar as estrelas, ver o sol nascer lá de cima e se sentir por cima das nuvens! Super indico é uma experiência única!

  • Foto de Alexandre Arins

    Alexandre Arins 10/Set/2015

    Obrigado pela avaliação Anne, o PP realmente tem alguns trechos bem expostos e que exigem certo respeito. Até 2009 a maioria dos lances tinha mais grampos, que foram retirados supostamente para dificultar o acesso à montanha e diminuir a visitação descontrolada, o que na prática não aconteceu e deixou as passagens bem mais perigosas.
    No mais, PP sempre sensacional!

  • Foto de Marcieli Dácio

    Marcieli Dácio 24/Dez/2015

    I have followed this trail  View more

    A trilha do Pico Paraná é extremamente exigente e exige preparo físico. O começo da trilha é bem tranquilo, e conforme se vai subindo a trilha vai ficando mais difícil. Chegando quase ao fim, possui um trecho de "escalaminhada", que são alguns ferros presos à rocha que auxiliam a subida. A vista lá de cima é fenomenal e vale muito a pena o esforço.

  • Foto de Felipe Montanhista

    Felipe Montanhista 26/Dez/2015

    Obrigado pela foto! Isso que eu estava curioso para ver. Como dizem as vezes uma foto vale mais que palavras.
    Quem achar que PP é passeio que estude bem antes de se aventurar. https://pt.wikiloc.com/trilhas-outdoor/pico-parana-highway-9299813#wp-9299818/photo-5526682

  • Foto de Felipe Montanhista

    Felipe Montanhista 26/Dez/2015

    Matando minha curiosidade com mais esta, Obrigado Alexandre!
    Quero dizer que quem achar que mapear motiva qualquer mané a se aventurar pode estar certo, entretanto ao mapear também desmotivamos muitos manés antes mesmo de começarem a trilha.
    Quem achar que PP é passeio que estude bem antes de se aventurar. https://pt.wikiloc.com/trilhas-outdoor/pico-parana-highway-9299813#wp-9299818/photo-5526684

  • Foto de Felipe Montanhista

    Felipe Montanhista 26/Dez/2015

    Caramba dessa eu não sabia. Vivendo e aprendendo! Valeu pela informação mestre. Ao passar por esse córrego (na trilha que fiz Caratuva Circular http://www.wikiloc.com/wikiloc/view.do?id=11149011), na minha ignorância sobre essas propriedades químicas, abasteci com 4 litros de água dessa fonte. Ainda bem que acabei a trilha sem beber tudo. /outdoor-trails/pico-parana-highway-9299813#wp-9299827

  • Foto de Felipe Montanhista

    Felipe Montanhista 26/Dez/2015

    Obrigado Alexandre por mapear com waypoint esse local. Eu já havia lido vários relatos sobre esses trechos ate o PP e já cheguei ate o A1 quando fiz a trilha Caratuva circular http://www.wikiloc.com/wikiloc/view.do?id=11149011
    Eu tinha o desejo de explorar ate o A2 ou ate esse paredões/degraus o que eu encontrasse primeiro. Minha curiosidade era para saber se os encontraria antes ou depois da bifurcação para o Camelos mas infelizmente eu tive que deixar para um próxima expedição devido ao tempo limitado. Pela localização geográfica desse waypoint agora interpreto que seja antes da bifurcação para o Camelos. /outdoor-trails/pico-parana-highway-9299813#wp-9299818

  • Foto de Alexandre Arins

    Alexandre Arins 11/Jan/2016

    De nada parceiro, acredito que este seja o lance mais complicado e exposto da subida ao PP, embora haja outros lances mais acima que também exigem cuidados. https://pt.wikiloc.com/trilhas-outdoor/pico-parana-highway-9299813#wp-9299818/photo-5526682

  • Foto de Alexandre Arins

    Alexandre Arins 11/Jan/2016

    Em geral o consumo de ferro na água não acarreta em grandes problemas, soube que no máximo se tomar muito pode dar diarréia, o que pode sim ser complicado em algumas situações em ambientes naturais.
    Recentemente realizei algumas trilhas em Minas Gerais aonde todas as fontes de água continham bastante ferro, dando a água uma aparência amarelada e até mesmo o gosto do metal, mas consumi vários dias sem nenhuma complicação, utilizando pastilhas de cloro somente nos pontos mais próximos de habitações e com água menos corrente. /outdoor-trails/pico-parana-highway-9299813#wp-9299827

  • Foto de Alexandre Arins

    Alexandre Arins 11/Jan/2016

    Olá Felipe, este lance que considero um dos mais técnicos da subida está localizado antes da bifurcação ao Camelos, que localiza-se acredito eu próximo ao A2. /outdoor-trails/pico-parana-highway-9299813#wp-9299818

  • Leandroscholz 2/Fev/2016

    I have followed this trail  View more

    Descrição muito boa do Alexandre. Fiquei um pouco triste de ver a degradação da trilha e também perceber a total falta de noção de alguns frequentadores que não levam o próprio lixo de higienização pós defecação.

    Como já dito, o PP não é passeio e se você nem mesmo consegue levar uns gramas a mais dos seus restos você deve rever seus conceitos de "não deixe traços na natureza".

  • Foto de Felipe Montanhista

    Felipe Montanhista 11/Mar/2016

    Caro Alexandre, quero lhe agradecer pelas respostas e informação que você tem me dado. Também gostaria de lhe informar que no dia 10 de Fevereiro de 2016 encaramos esse paredão (de uns 10 metros creio eu) que tem grampos e cordas instalados (cair aqui pode ser fatal). Tiver que encarar meu medo de altura mas consegui ultrapassar esse ponto e chegar ao cume do PP. Concordo com você que essa é a parte mais difícil da subida do PP desde a Fazenda PP. Infelizmente os camelos terão que ficar para outra empreitada e terei que encarar esse lance de novo.

    Para quem ainda não esteve no cume do PP mas pretende ir; após esse lance há outros pontos com grampos e até uma corrente mas são lances menores e bem mais tranquilos. Recomendo que vejam fotos para saberem o que irão encarar.

    Na descida pegamos muita chuva com trovões. O paredão havia se tornado uma mini cachoeira. Paramos antes do inicio da decida desse paredão para deixarmos passar o perigo de sermos atingidos por raios. Após alguns minutos percebemos que a tempestade não diminuiria nem tão cedo logo resolvemos ir logo. Eu havia levado uma corda comigo de uns 15 metros (que deu e sobrou) o que foi muito util nesse momento pois podemos baixar nossas mochilas cargueiras ao invés de te-las nas costas (subimos com elas nas costas) o que poderia nos desequilibrar caso viéssemos a escorregar com tanta água.

    Volto a enfatizar a importancia de estudar, planejar e ir preparado para essas empreitadas e a melhor forma de conseguir isso é tendo companheiros como Alexandre dispostos a nos esclarecer nossas duvidas.

    Alexandre eu gostaria de ter escrito no livro de cume que chegamos lá com o auxilio da sua informação mas o livro estava totalmente lotado, mal tive espaço para escrever os nossos nomes.

    Quem for lá se puder leve um livro novo. Se eu soubesse teria levado um. /outdoor-trails/pico-parana-highway-9299813#wp-9299818

  • Foto de Felipe Montanhista

    Felipe Montanhista 11/Mar/2016

    Agora que estive lá posso afirmar que concordo plenamente com você Alexandre. https://pt.wikiloc.com/trilhas-outdoor/pico-parana-highway-9299813#wp-9299818/photo-5526682

  • Foto de Alexandre Arins

    Alexandre Arins 11/Mar/2016

    Nessa região chove muito mesmo, ainda mais nesta época. Imagino que deve ter sido um baita perrengue, mas faz parte da aventura, desde que haja responsabilidade e equipamentos adequados para estas situações como mencionaste.
    Não se preocupe quanto aos "créditos" no livro de cume, fica satisfeito em saber que as informações lhe auxiliaram a ir e retornar com segurança. Em montanhas muito frequentadas como esta os livros em geral estão cheios mesmo ou sofrem vandalismos diversos.
    Pretendo ir lá nas próximas semanas, vou tentar lembrar de levar um novo caderno.
    Abraço!
    /outdoor-trails/pico-parana-highway-9299813#wp-9299818

  • Foto de Felipe Montanhista

    Felipe Montanhista 16/Mar/2016

    Aviso aos navegantes quando estive ai no dia 10 de fevereiro de 2016 não havia mas essa segunda corda no lado direto da foto veja http://www.wikiloc.com/wikiloc/imgServer.do?id=7695112 https://pt.wikiloc.com/trilhas-montanhismo/pico-parana-highway-9299813/photo-5526603

  • Foto de Felipe Montanhista

    Felipe Montanhista 16/Mar/2016

    I have followed this trail  View more

    Excelente mapeamento e descrição melhor que isso só com o waypoint e foto da bifurcação PP-Camelos.
    Nobre descrição dando credito a quem merece com links etc.
    Infelizmente também como relatado "gente despreparada e sem noção" nessa e em muitas outras trilhas pelo Brasil. Na trilha que fiz Caratuva circular ( http://www.wikiloc.com/wikiloc/view.do?id=11149011 ) limpei o mirante do Getulio dos restos deixados por pessoas assim ao subir a trilha. Ao retornar no dia seguinte encontre a local repleto de lixo não biodegradável e orgânico como se eu não tivesse recolhido nada no dia anterior. Arbustos transformados e varais de secagem de casca de banana - ao artista informo; que faça ecoturismo no lixão da suas cidade.
    Realmente "PP não é passeio" como diz o autor quem duvidar que observe e descrição das fotos dos degraus.
    Obrigado Alexandre "Se vi mais longe foi por estar de pé sobre ombros de gigantes." Isaac Newton.

  • Foto de Felipe Montanhista

    Felipe Montanhista 16/Mar/2016

    Alexandre eu havia lido o que você escreveu acima "Também o tornou palco de várias outras polêmicas, envolvendo cobranças de acesso, gestão do Parque Estadual, colocação e retirada de grampos, etc." mas sabe como é né a gente nunca percebe bem os efeitos do homem na natureza. Então vejam a foto do paredão com os grampos nesse artigo http://altamontanha.com/Noticia/1051/escadarias-do-pico-parana-sao-retiradas-da-montanha e agora comparem com a foto que eu tirei no dia 10 de fevereiro de 2016 quando estive lá pela primeira vez http://www.wikiloc.com/wikiloc/imgServer.do?id=7695112 . Repare a diferença do que a remoção dos grampos e a erosão fizeram com a face do paredão. Assim que eu tiver mais tempo acrescentarei mais algumas fotos que tirei de outras partes do paredão, que também aparecem no artigo acima.

  • Foto de Alexandre Arins

    Alexandre Arins 17/Mar/2016

    Olá Felipe, vendo as fotos é até difícil acreditar que trata-se do mesmo lugar, mas nos poucos anos que realizo atividades nas montanhas do PR, já pude presenciar mudanças causadas pelo impacto da visitação intensiva em várias ocasiões. Algumas trilhas chegaram a mudar seus rumos originais, se alargaram, viraram lamaçais, etc. Os grampos são colocados justamente para evitar esse tipo de impacto e não necessariamente para facilitar o acesso a montanha. É realmente uma pena terem vandalizado os grampos ali instalados, ações que continuam acontecendo em outros modalidades do montanhismo como denunciado neste recente artigo ( http://altamontanha.com/Colunas/5067/setor-escola-do-anhangava-rompendo-o-silencio ) de Pedro Hauck em vias de escalada no Anhangava.

  • Foto de Felipe Montanhista

    Felipe Montanhista 19/Mar/2016

    Alexandre concordo plenamente com você. Um excelente exemplo, da razão citada por você, para a presença de grampos com objetivo de evitar o impacto ambiental e não necessariamente facilitar o acesso, fica na trilha que leva ao cume do Itapiroca. Nessa trilha se encontra apenas um grampo em uma rocha pequena, um obstáculo que não é difícil ultrapassar. Ao se deparar com aquilo pode-se pensar que é alguma piada, mas como você disse a intenção não é facilitar o acesso e sim evitar o impacto. Veja o marco e as fotos desse grampo em http://www.wikiloc.com/wikiloc/view.do?id=11825733
    Obrigado pelo artigo, realmente uma pena. Recentemente tive um papo muito legal com Pedro Hauck justamente sobe facilitar acesso ou não.

  • Foto de edver carraro

    edver carraro 2/Abr/2016

    I have followed this trail  View more

    Trilha exigente fisicamente, porém de beleza única! Recomendo bons equipamentos e cuidado redobrado nos trechos mais técnicos (via ferrata). Nas três vezes que fui, não tive sorte de trilhar com uma boa janela de tempo, mas fui recompensado pelas poucas e belas vistas das montanhas do complexo do Ibitiraquire. Tracklog bem completo e dicas muito boas.

  • Rafael Hernando 30/Jan/2017

    I have followed this trail  View more

    Muito bem explicada!! Valeu

  • Foto de Jair Junior (JJ)

    Jair Junior (JJ) 27/Out/2017

    Olá Alexandre, tudo joia? Como é questão do tempo no mês de dezembro para subir o PP? Muitas chuvas e tempestades? Estou indo de férias para a região sul e procurando opções de montanhismo para não perder a oportunidade. Abraços

You can or this trail