Tempo em movimento  2 horas 49 minutos

Horas  7 horas 32 minutos

Coordenadas 1364

Uploaded 1 de Setembro de 2018

Recorded Setembro 2018

  • Rating

     
  • Information

     
  • Easy to follow

     
  • Scenery

     
-
-
1.516 m
1.061 m
0
1,9
3,7
7,48 km

Visualizado 437 vezes, baixado 28 vezes

próximo a Madeireira Dal’Pai, Paraná (Brazil)

Trilha bem tranquila passando pela Torre Amarela, Vigia, Morro do Carvalho onde está o resto das fuselagem do avião da sadia que caiu na década de 60, por último passando pelo canal, fechando o circuito.
foto

Ponto d'água

foto

Cordas

foto

Visual

foto

Bifurcação Torre Amarela/Vigia

foto

Torre Amarela

foto

Bifurcação Vigia/Morro do Carvalho

foto

Ponto d'água

foto

Corda

foto

Fuselagem do avião

foto

Bifurcação

foto

Morro do Vigia

foto

Cume

foto

Escadas

foto

Morro do Canal...

foto

Caverna de pedra

foto

Bifurcação Vigia/Canal

foto

Fim

9 comentários

  • Rat_1969 19/jan/2019

    Outro irresponsável postando a trilha pro Morro do Carvalho!
    Área de preservação permanente, dentro de porção intangível do Parque Estadual do Marumbi.
    Pensem srs. montanhistas: até quando a montanha vai aguentar a carga de gente que vocês estão concedendo acesso fácil? Especialmente em ambientes sensíveis, e onde tem muita gente frequentando as redondezas, como é exatamente esse caso, a tendência é a trilha e a montanha se deteriorar muito rápido!
    De quem será a culpa? Nossa, melhor dizendo, SUA Sr. Osmario! Pense nisso!
    E ainda fala que a trilha é bem tranquila! Caramba! Logo vai ter gente lá de havaianas.
    Fui!

  • Rat_1969 19/jan/2019

    I have followed this trail  View more

    Trilha que não deveria ser postada abertamente, pois viola os termos do serviço do Wikiloc

  • Foto de BrennoLiz

    BrennoLiz 6/fev/2019

    Olá cidadão!
    Peço gentilmente que se abstenham de compartilhar em aberto essa trilha, pois ela leva a um trecho de trilha que consideramos inapropriado de ser percorrido, pois além de arriscado, entra em área do parque estadual do Marumbi, cuja VISITAÇÃO É PROIBIDA ou seja, poderá sujeitar os infratores a multas administrativas, sem falar no risco elevado que pessoas despreparadas podem correr, inclusive vendo a classificação de nível moderado que você indica, dando a falsa impressão de que é uma trilha segura. Não é.
    É perigoso ter trilhas de áreas arriscadas como essa sendo compartilhadas na internet para qualquer um ver e seguir. O trabalho que escolhi é este, de bombeiro, e nós não temos medo ou preguiça de faze-lo. O grande problema é ir lá para resgatar alguém e eventualmente ter que trazer um corpo sem vida de volta, isso é que nos preocupa e deveria preocupar outros além de nós, como você que posta a trilha. Simples assim. Todos temos nossas responsabilidades (ou deveríamos ter). O problema é que alguns não pensam nisso e aí é que as cagadas acontecem. Acidente acontece, mas quando contribuímos de algum modo deixa de ser um acidente e pode até virar crime. Se alguém vê a trilha na internet acha que é só ir lá e seguir, muita gente pensa assim e pessoas que resgatamos nos falam isso direto. Você pode até ser que saiba o que faz ou tem consciência sobre o perigo quando faz uma trilha dessas, mas muita gente por aí não tem. O pessoal se machuca feio até no Caminho Itupava, que é uma verdadeira estrada. Tá cheio de molecada no mundo que acha que o que dizemos é brincadeira para assustar criança.

  • Foto de BetoMarcondes

    BetoMarcondes 19/fev/2019

    Lei de Crimes Ambientais – Lei Federal 9.605/1998
    Art. 2º Quem, de qualquer forma, concorre para a prática dos crimes previstos nesta Lei, incide nas penas a estes cominadas, na medida da sua culpabilidade, bem como o diretor, o administrador, o membro de conselho e de órgão técnico, o auditor, o gerente, o preposto ou mandatário de pessoa jurídica, que, sabendo da conduta criminosa de outrem, deixar de impedir a sua prática, quando podia agir para evitá-la.

  • Foto de BetoMarcondes

    BetoMarcondes 19/fev/2019

    Lei Federal 9.985/1998
    Regulamenta o art. 225, § 1o, incisos I, II, III e VII da Constituição Federal, institui o Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza e dá outras providências.
    ...
    Art. 28. São proibidas, nas unidades de conservação, quaisquer alterações, atividades ou modalidades de utilização em desacordo com os seus objetivos, o seu Plano de Manejo e seus regulamentos.

  • Foto de BetoMarcondes

    BetoMarcondes 19/fev/2019

    Decreto 6.514/2008
    Dispõe sobre as infrações e sanções administrativas ao meio ambiente, estabelece o processo administrativo federal para apuração destas infrações, e dá outras providências.
    ...
    Art. 90. Realizar quaisquer atividades ou adotar conduta em desacordo com os objetivos da unidade de conservação, o seu plano de manejo e regulamentos:
    Multa de R$ 500,00 (quinhentos reais) a R$ 10.000,00 (dez mil reais).
    ...
    Art. 92. Penetrar em unidade de conservação conduzindo substâncias ou instrumentos próprios para caça, pesca ou para exploração de produtos ou subprodutos florestais e minerais, sem licença da autoridade competente, quando esta for exigível:
    Multa de R$ 1.000,00 (mil reais) a R$ 10.000,00 (dez mil reais).
    Parágrafo único. Incorre nas mesmas multas quem penetrar em unidade de conservação cuja visitação pública ou permanência sejam vedadas pelas normas aplicáveis ou ocorram em desacordo com a licença da autoridade competente.

  • Foto de BetoMarcondes

    BetoMarcondes 19/fev/2019

    Plano de Manejo do Parque Estadual Pico do Marumbi - 1996
    Abaixo, pequeno excerto das páginas 71 a 74 do Plano de Manejo ...

    Define no seu item: 3 - Manejo da Unidade de Conservação, o zoneamento do parque e as atividades admitidas, respectivamente para cada zona, delimitando entre outras:

    3.2.1. Zona Intangível
    Definição e Objetivos
    Zona intangível é aquela onde a primitividade da natureza permanece intacta, não tolerando quaisquer alterações, representando o mais alto grau de preservação dos recursos biofísicos e genéticos existentes em uma determinada área. Esta zona é destinada à proteção integral de ecossistemas, garantindo a evolução natural dos mesmos.
    Descrição
    Compreende a maior parte da área do Parque Estadual constituída pela sua porção sul e leste, compreendendo os cumes dos morros denominados Leão, Ângelo e Bandeirantes, até o extremo sul da área.
    Inseridas neste contexto estão também o vale da porção leste do Conjunto Marumbi, e a parte das encostas no sentido oeste do Vale do Rio São João.
    Esta unidade de zoneamento abrange 1.542,67 há, representando 66,8% da área do Parque. [...]
    Normas
    Para esta unidade são estabelecidas as seguintes normas de uso:
    - Não será permitido o uso público
    [...]

  • Foto de BetoMarcondes

    BetoMarcondes 19/fev/2019

    3.2.2. Zona Primitiva
    Definição e Objetivos
    Esta zona consiste de áreas naturais onde a intervenção ocorrida tenha sido pequena ou mínima e pode conter ecossistemas únicos, espécies de flora ou fauna, ou fenômenos naturais de grande valor científico que, eventualmente podem tolerar o uso limitado de público.
    O objetivo geral é preservar o ambiente para que evolua naturalmente, podendo ser permitido o uso científico autorizado, a educação ambiental e o uso limitado do público para recreação primitiva.
    Descrição
    A zona primitiva do Parque abrange uma área de 613,84 há, correspondente a 26,221% da sua área total. Dela fazem parte:
    - as áreas que envolvem a Zona de Manejo Extensivo e a de Recuperação compreendidas na região do Conjunto Marumbi;
    - as áreas que envolvem a Zona Histórico-Cultural na porção noroeste onde localiza-se o Caminho Colonial do Itupava, bem como os sítios arqueológicos;
    - as áreas que circundam a Zona Intangível na porção oeste da região do Rio São João, até o Morro Boa Vista, envolvendo as trilhas do Conjunto Marumbi (Zona de Manejo Extensivo), descendo pela crista da Esfinge até as proximidades da estrada de ferro.
    Normas
    As normas adotadas para esta zona disciplinam que:
    - não será permitido o uso público, à exceção de atividades especiais que venham a contribuir para o reconhecimento da importância da área e da conservação da natureza;
    [...]

  • Foto de BetoMarcondes

    BetoMarcondes 19/fev/2019

    PLano de Manejo do Parque Estadual Pico do Marumbi, disponível em: http://www.iap.pr.gov.br/arquivos/File/Planos_de_Manejo/Parque_Estadual_Pico_do_Marumbi/PM_PE_Marumbi.pdf

You can or this trail