Horas  12 horas 5 minutos

Coordenadas 1276

Uploaded 14 de Janeiro de 2020

Recorded Janeiro 2020

-
-
2.163 m
1.244 m
0
2,5
5,0
10,08 km

Visualizado 128 vezes, baixado 2 vezes

próximo a Maraña, Castilla y León (España)

FOTOS DESTA E DE OUTRAS TRILHAS EM ”CAMINHANTES"

ASCENSÃO À POLINOSA PELO CANAL CENTRAL

O Maciço de Mampodre, que desde 1994 é integrado no Parque Regional dos Picos da Europa, é um pequeno maciço montanhoso no norte da Espanha, que faz parte da cordilheira Cantábrica, localizado a nordeste da província de León (Castela e Leão), na cabeceira de dois vales da divisão da Cantábria que despejam suas águas no rio Esla - através do pequeno rio Maraña que atravessa as pequenas cidades de Maraña e Acebedo e o Rio Porma - através de vários riachos de montanha - que atravessa Cofiñal.

Apesar do nome, nenhum dos cumes do maciço tem o nome de Mampodre. No total, aqui estão agrupados dez cumes com uma identidade própria que excedem dois mil metros de altura, em muitos deles foram criados percursos interessantes para a prática de montanhismo técnico e de alguma dificuldade, especialmente no inverno, são exemplo os diversos canais e corredores de La Polinosa (2160m).

La Polinosa é um dos cumes mais emblemáticos de Mampodre, é uma pirâmide perfeita vista desde o Valle de Valverde, onde na face Norte encontramos várias vias de carácter invernal, entre elas, a mais clássica, o CANAL CENTRAL, um corredor direto que ascende ao seu cume pelo centro da face Norte.

É considerado uma verdadeira joia do alpinismo cantábrico e que normalmente está em boas condições durante todo o inverno. Como em outros casos, se a neve é abundante, torna-se uma via fácil com os ressaltos de neve a rondar os 50º. Se a neve escasseia, converte-se num corredor que pode alcançar os 65º em algum dos três ou quatro ressaltos que temos de vencer.

A primeira ascensão invernal foi realizada por Jorge Marquínez e Ricardo Anadón, a 30 de março de 1980.


APROXIMAÇÃO
Iniciamos a nossa atividade no Albergue La Parada de Maraña (1256m), local da pernoita. Seguimos pela estrada, aproximadamente 600 metros, na direção Oeste até encontrar um amplo caminho de terra à esquerda que atravessa o rio Maraña por uma pequena ponte.

Continuamos na direção Oeste, entre arbustos e áreas herbáceas, sempre a subir, alcançamos o Valle de Valverde e intersetamos o Arroyo de Valverde o qual acompanhamos sensivelmente ao longo de dois quilómetros, primeiro para Sul e depois para Sudeste, procurando sempre o melhor caminho, fomos ganhamos altura progressivamente pelo fundo do vale. Aos poucos começamos a deslumbrar a magnifica montanha da Polinosa. À medida que vamos avançando a neve vai aumentando. Agora sem possibilidade de perda seguimos para a base da Polinosa em direção ao seu corredor central.


Corredor Central de La Polinosa


DESCRIÇÃO DA VIA
As rampas do cone de ejeção do canal central apresentam uma pendente média de 45º, que nos permite alcançar comodamente em ziguezague o inicio do corredor. Aqui, fizemos a primeira reunião, o corredor estreita consideravelmente e alcança um primeiro ressalto fácil com neve dura a 50º. Com menos neve, o ressalto pode converter-se em quatro metros a 60º.

Ultrapassado o primeiro ressalto a pendente decresce um pouco e volta aos 45º. Fizemos nova reunião nas rochas à esquerda antes do segundo ressalto de três metros a 55º. Ultrapassado o segundo ressalto continuamos por neve dura com pendente de 45º/50º sem grandes dificuldades até junto do terceiro ressalto. Montamos nova reunião nas rochas à nossa esquerda.

Encontramo-nos aproximadamente a meio do corredor e abaixo das maiores dificuldades do mesmo. Enfrentamos o quarto ressalto, desta vez com oito metros e que ronda os 65º e com neve escassa é difícil de escalar. Ultrapassado, voltamos a uma pendente de 45º, para montar nova reunião numa boa base da pala de uma rocha piramidal que encontramos de frente.

Saindo à nossa direita, contornamos outra escarpa calcária pela sua direita para ascender a direito pela rampa de neve de 45º/40º os 120 metros que nos separam do cume com neve em perfeitas condições para a atividade.

Alcançamos o cume da Polinosa pelo Corredor Central! A panorâmica de 360º que temos diante de nós é espetacular! Pico La Cruz, o cume mais alto do Maciço de Mampodre, Peña del Convento, Pico Cervunal, Pico Susarón, Embalse del Porma, a Montanha Palentina, as Montanhas Vegarada, as Montanhas San Isidro, Pico Torres, os Picos da Europa, com Torre Bermeja no Maciço Ocidental e intermináveis cumes do Maciço Central, Pico Coriscao, Cordilheira Riaño, Pico Jario, montanhas ao redor do Porto de Panderrueda e Puerto de Pandetrave. A localização tão centralizada do Maciço de Mampodre torna suas vistas privilegiadas!


REGRESSO
Fizemos o regresso pela borda da aresta em direção Oeste para alcançar o amplo Collado Ocidental de Valverde, aqui viramos a Norte para descer em direção ao Valle de Valverde. Daqui, seguimos no sentido inverso do mesmo itinerário realizado na parte da manhã para alcançar o nosso ponto de partida, o Albergue La Parada de Maraña.


FICHA TÉCNICA
Realização: janeiro 2020
Percurso: Maraña - Valle de Valverde - Corredor Central - Peña La Polinosa (2159m) - Collado Ocidental de Valverde - Maraña
Distancia: 10,1 km
Duração: 10h04min
Tempo em movimento: 3h14min
Tempo parado: 6h50min
Movimento médio: 3,12kms/h
Acumulado positivo: 988m
Acumulado negativo: 988m




Se gosta das nossas trilhas adicione a sua avaliação no final da página.
Obrigado pelo seu comentário e avaliação.

Si te gusta nuestras rutas haz tu propia valoración al final de la página.
Gracias por tu comentario y valoración.

If you like our trails, leave your own review at the end of the page.
Thank you for your comment and review.

A equipa Caminhantes
Waypoint

APARCAMIENTO ALBERGUE DE MARAÑA

Waypoint

VALLE DE VALVERDE

Waypoint

CANAL CENTRAL

Waypoint

RESALTO

Waypoint

RESALTO

Waypoint

LA POLINOSA (2159M)

Waypoint

COLLADO OCCIDENTAL DE VALVERDE

Comentários

    You can or this trail