Tempo em movimento  2 horas 4 minutos

Horas  5 horas 2 minutos

Coordenadas 1606

Uploaded 4 de Julho de 2019

Recorded Julho 2019

-
-
2.144 m
1.175 m
0
2,4
4,8
9,67 km

Visualizado 20 vezes, baixado 8 vezes

próximo a Casa Branca da Serra, Rio de Janeiro (Brazil)

Roteiro geoturístico e didático com foco na interpretação ambiental do trecho referente ao 3º dia da Travessia Petrópolis-Teresópolis: Abrigo 4 até a Barragem (sede Teresópolis do PARNASO).

Referências Bibliográficas:
- LUCENA, W. M. História do Montanhismo no Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: PUBLIT, 2008.

- PESSOA, F.A.; PACHECO, F.F.; PEIXOTO, M.N.O.; MANSUR, K.L. Caracterização da Geodiversidade da Travessia Petrópolis-Teresópolis (Parque Nacional da Serra dos Órgãos, RJ). XVIII Simpósio Brasileiro de Geografia Física Aplicada, Fortaleza - Ceará, 2019.

- PESSOA, F.; ARAUJO, J.; SEOANE, J.C.; CAMBRA, M.F.; GIRALDO, S.; MARTINS, G.; MANSUR, K.; PEIXOTO, M.N. Geodiversidade e serviços ecossistêmicos em trilhas de montanha na Travessia Petrópolis-Teresópolis (Parque Nacional da Serra dos Órgãos, RJ). XII Simpósio Nacional de Geomorfologia, Crato - Ceará, 2018.
Na área que hoje existe o Abrigo 4, existia o chamado "Abrigo dos Guinle", o qual foi erguido no tempo em que as terras do PARNASO pertenciam à família Guinle. Era um abrigo para caçadores no trecho final da trilha da Pedra do Sino, denominado de "Campo das Antas". Em estado precário foi derrubado na primeira gestão do Parque, quando foi erguido o Abrigo 4, então com dois dormitórios com beliches, cozinha e banheiro externo. Já o abrigo atual foi construído somente em 2001. O último dia da Travessia é marcada por uns bons km de descida, que se inicia ainda sobre o Planalto do Sino e entre os campos de altitude. Durante boa parte da trilha as montanhas dos municípios de Teresópolis e Friburgo podem ser observadas.Antes de iniciar a descida é sugerida uma ida até a Pedra da Baleia, preferencialmente no horário do nascer do sol.
Desse ponto é possível observar vários picos da Serra dos Órgãos, como o Morro do Papudo e a Verruga do Frade, por exemplo. Também é possível observar a área do Parque Estadual dos Três Picos, com destaque para a montanha de mesmo nome. O ambiente serrano contrastando com a baixada da Baía de Guanabara impressiona.
Esse bloco de rocha marca a cota 2000 metros de altitude, contexto em que estamos inseridos desde o ponto de interesse "Chapadão" no primeiro dia da Travessia. A partir daqui começa um desnível altimétrico significativo, reflexo de mudanças no compartimento de relevo: deixaremos para trás o Planalto do Sino e vamos caminhar no Planalto Dissecado. Mudanças também serão percebidas na vegetação: os campos de altitude são substituídos por um ambiente florestal na encosta. A cota 2000 (e próximo dela) marca bifurcações importantes para outras trilhas da Serra dos Órgãos, como o Mirante do Inferno e Pedra do Papudo, por exemplo. Nesse trecho final da Travessia, o canto da ave Saudade - identificado a partir de um longo e melancólico assovio - será marcante. Essa ave habita áreas montanhosas com floresta, especialmente entre 1200 a 2050 metros de altitude e é endêmica das montanhas altas na fronteira de São Paulo com o Rio de Janeiro, bem como na Serra dos Órgãos (RJ) e também alguns pontos no sul de Minas Gerais (Serra da Mantiqueira).
O Abrigo 3 foi construído no contexto dos primeiros anos após a criação do PARNASO, durante a gestão de Gil Sobral Pinto, entre os anos 1940 e 1950 (o mesmo se aplica aos abrigos 1 e 2). Este abrigo era todo em alvenaria e possuía dois dormitórios com beliches, refeitório, cozinha e banheiro com água encanada. Atualmente, apenas a base desse antigo abrigo se mantém.
Vista do mirante permite observar um pouco do Contexto serrano regional, sendo possível ver algumas das montanhas do parque e a Baixada da Guanabara. Além disso, possibilita discutir a respeito da evolução urbana da cidade de Teresópolis.
Ponto de água, que aflora a partir das fraturas presentes na rocha, o que demonstra a interação entre as estruturas locais com a hidrogeologia.
Aqui estamos inseridos em uma cicatriz de um antigo deslizamento. Deslizamentos ou Escorregamentos são movimentos de solo e rocha que ocorrem em superfícies de ruptura. Quando a superfície de ruptura é curvada no sentido superior (em forma de colher) com movimento rotatório em materiais superficiais homogêneos, o movimento de massa é classificado como Deslizamento Rotacional. Quando o escorregamento ocorre em uma superfície relativamente plana e associada a solos mais rasos, é classificado como Deslizamentos Translacionais. Na presente cicatriz, especificamente, tivemos um Deslizamento Rotacional onde boa parte da vegetação já foi reestabelecida. A partir de um olhar atento, diversas cicatrizes podem ser observadas na Região Serrana.
Nesse ponto existia o antigo Abrigo 2. Nos anos 1940 e 1950, destacava-se por seu ambiente acolhedor. Era todo em madeira e possuía um amplo refeitório rodeado de vinte beliches, além de banheiro com chuveiro e acomodações para um guarda e família. Chegou a possuir durante poucos anos instalação elétrica com gerador próprio. Atualmente, apenas a área onde o abrigo existia pode ser observada a partir de um olhar atento - saindo um pouco da trilha, uma área mais plana e com vegetação um pouco mais esparsa. Olhe a foto e use sua imaginação.
A cachoeira Véu da Noiva representa um nível de base local com presença de afloramento com foliação bem definida de rochas do Complexo Rio Negro. Daqui faltam 2 km para o fim da Travessia.
O Abrigo 1 localizava-se ao lado de uma pedra que constituía uma de suas paredes (local hoje denominado de "Toca dos Caçadores"). Este abrigo foi desfeito em virtude do deslocamento de tal bloco. Esses blocos de rochas são provenientes de partes mais elevadas da região e possuem fraturas provenientes de alívio de pressão e também influenciadas por características da geologia regional.
Calçamento construído ainda no período imperial, antes mesmo da criação do PARNASO.
Ponto final da Travessia Petrópolis-Teresópolis. O nome deve-se à barragem existente ao lado do estacionamento. Logo em frente temos a trilha suspensa. Caminhando pela estrada é possível descer por mais 3 km até a portaria do PARNASO. Nesse caminho, a entrada para as trilhas da parte baixa são observadas, além da estrutura da sede Teresópolis, como o Centro de Visitantes, onde é sugerida a visitação.

Comentários

    You can or this trail