Horas  8 horas 54 minutos

Coordenadas 1186

Uploaded 12 de Setembro de 2015

Recorded Agosto 2015

  • Rating

     
  • Information

     
  • Easy to follow

     
  • Scenery

     
-
-
1.718 m
929 m
0
1,8
3,6
7,29 km

Visualizado 10370 vezes, baixado 373 vezes

próximo a Rio Bonito, Paraná (Brazil)

ATENÇÂO: O Ciririca é considerada a montanha com trilha consolidada mais difícil do Paraná. Como sempre, use o track com responsabilidade e respeito. Só estou divulgando o mesmo porque já há outros no wikiloc com bem menos informações que divulgo neste.

"Siririca", ao invés de Ciririca, pois a raiz linguística Tupi-Guarani parte de Siri, Siririca. o "C" é um desvirtuamento que infelizmente "pegou".

DESCRIÇÃO:
Track da trilha "por baixo" ao cume do Ciririca, a partir da Fazenda da Bolinha.
Morro localizado no Parque Estadual do Pico Paraná, Serra do Ibitiraquire. É conhecido por ser o "K2 Paranaense", a montanha de trilha consolidada mais difícil do estado, com 1.641m. É também conhecido pelas grandes placas no seu cume, que servem para fazer a retransmissão passiva de microondas de rádio da Usina subterrânea de Parigot de Souza para Curitiba.
O nome peculiar é de origem tupi, e segundo uma fonte (Ivituruí Montanhismo) significa "Grande Mãe Caranguejo", enquanto outra fonte (Fernando Costa Straube) cita que signifcaria "escorregar".
Segundo uma terceira fonte (Getúlio Rainer Vogetta):
"a grafia correta do nome é "Siririca", ao invés de Ciririca, pois a raiz linguística Tupi-Guarani parte de Siri, Siririca. o "C" é um desvirtuamento que infelizmente "pegou"
Mantive o "C"iririca no nome para facilitar a busca através da pesquisa.

TRILHA:
A trilha ao cume apresenta inclinação média a alta em sua maior parte. Como há vários vales no caminho, até o terço final da trilha há muito sobe e desce, com alguns trechos bastante expostos e exigindo a utilização de cordas instaladas. Na ascensão ao Ciririca propriamente dito, há um trecho conhecido como Rampa do Ciririca, que trata-se de uma rocha exposta com lances complicados especialmente se a pedra estiver molhada. No final do lance, há um grampo com uma corda precária de nylon instalada. Parceiros escaladores consideraram que o trecho é comparável a uma via de 3º grau, e exige respeito. O solo é seco na maioria dos pontos, com alguns banhados na ascensão ao cume, especialmente com clima instável.
A trilha é sinalizada com fitas amarelas e vermelhas, mas a orientação costuma ser bastante problemática, devido a trilhas pouco consolidadas e várias trilhas secundáras na região, havendo diversos relatos de perdidos e resgates na região.

BASE:
No começo da trilha, é possível estacionar na Fazenda do Bolinha por cerca de 10,00 reais por pessoa, com direito a banheiro, chuveiro e camping.

ATENÇÃO: A região é conhecida por ser o palco de vários resgates, devido principalmente a facilidade de se perder nas trilhas secundárias. Use sempre GPS, Bússola e Cartas, e vá acompanhado de pessoas experientes nesta trilha.

DIFICULDADE:
Considerando: trechos de inclinação média a alta; escaladas técnicas na rocha com exposição a quedas, com e sem auxílio de cordas; a trilha parcialmente sinalizada e consolidada; grande quantidade de trilhas secundáras, roubadas e perdidas; classifico esta trilha como MUITO DIFÍCIL (com clima favorável).
*Esta classificação prioriza a dificuldade técnica, não levando em conta o esforço físico individual.


CONHEÇA PARA PRESERVAR:
Os ambientes naturais são patrimônio de todos, e quaisquer atividades realizadas neles apresentam uma série de riscos. Aproveite-os com responsabilidade:
0- Procure sempre ir acompanhado de alguém que conheça a trilha e região, e deixe pessoas avisadas em casa sobre seu destino e horário previsto de retorno.
1- Traga de volta todo o lixo produzido (inclusive biodegradável) e destiná-lo corretamente;
2- Evite provocar incêndios – não faça fogueiras; não jogue fora pontas de cigarros e
cacos de vidro;
3- Não colete plantas (mudas, sementes ou flores secas), animais, rochas ou cristais;
4- Não moleste animais silvestres; não ofereca ou deixar restos de alimentos e não pesque;
5- Evite fazer barulhos desnecessários; não use aparelhos de som;
6- Ande sempre nas trilhas habituais, evitando a erosão em trilhas alternativas;
7- Não deixe marcas em troncos e pedras;
8- Evite desmoronamentos ao entrar e sair de rios, não jogue nada neles;
9- Não entre acompanhado de animais de estimação
10- Não leve bebidas alcoólicas, explosivos, fogos ou armas de fogo ou de
pressão;
11- Não faça uso de sabonetes e shampoos ao entrar nas águas;
12- Tome cuidado com animais peçonhentos, como cobras, aranhas e escorpiões;
13- Em caso de raios evite árvores isoladas e locais encharcados;
14- Muita atenção ao horário de retorno (variável de acordo com a estação), leve SEMPRE lanterna e baterias sobressalentes.
15- Lembre-se: em ambientes naturais há riscos de diversos acidentes e a fadiga pode favorecê-los. Boa parte dos acidentes ocorrem no retorno (70%), leve sempre consigo um kit de primeiros socorros, apito, e celular desligado (preserva a bateria);
16- Ao atravessar ou banhar-se em rios e cachoeiras tenha consciência que os mesmos podem subir repentinamente. Isso pode gerar situações perigosas, ilhando ou até arrastando as pessoas. Mesmo não chovendo no local, chuvas a acima podem provocar cheias, conhecidas por trombas d’água;
17- Atenção com a viração, nevoeiro repentino que ocorre principalmente em ambientes montanhosos, e que reduz fortemente a visibilidade.
(adaptado de "Termo de Responsabilidade - PARNA Aparados da Serra")

Para mais informações, recomendo:
http://www.rumos.net.br/rumos/rumo.asp?cdNot=219
Pequeno poço com espaço para banhar-se no fim do vale Trilha confusa neste trecho, atenção
Poço com pequena queda dágua próximo ao poço das fadas
Queda dágua conhecida como Professor, em homenagem a Erwin Gröger, engenheiro, montanhista e orquidófilo austríaco radicado no Paraná.
Rio
Local de estacionamento pago com estrutura de banheiro e lanchonete Cobra-se cerca de 10,00 R$ por pessoa
Trecho de descida de corda, fechado recentemente com desvio pela direita
Cruzo das placas
1.641m
Placa de retransmissão passiva de microondas de rádio
Placa de retransmissão passiva de microondas de rádio
Trecho de escalada de 3º grau em rocha Cuidado, lances expostos e com pouco apoio Corda de nylon de qualidade duvidosa no último lance
Última água confiável antes do cume

20 comentários

  • Foto de Felipe Montanhista

    Felipe Montanhista 26/dez/2015

    Alexandre sensacional seu relato da trilha. Muito bem mapeada com descrição, waypoints e fotos. Muitíssimo obrigado.

  • Foto de Felipe Montanhista

    Felipe Montanhista 26/dez/2015

    Ah e esqueci de acrescentar mapeada sem desvios ou perambulações.

  • Foto de Alexandre Arins

    Alexandre Arins 11/jan/2016

    Obrigado pelos comentários Felipe, espero ter ajudado, abraço!

  • Foto de Deivison Vieira

    Deivison Vieira 30/jan/2016

    Trilha muito difícil e exigente tanto psicologicamente com fisicamente.

  • Foto de Vandir Becker Filho

    Vandir Becker Filho 10/mar/2016

    I have followed this trail  View more

    Trilha Muito cansativa e bem pesada para iniciantes, porem muito bem demarcada com um visual espetacular e cachoeiras sensacionais. Acredito que uns 70% da trilha você encontra água constante, a ultima parte o bicho pega com o paredão e trilha em campo aberto sem acesso a água até o cume. Mas vale a pena.

  • Foto de Johnny S

    Johnny S 21/jul/2016

    Parabéns pelos seu tracklog. Já vi alguns criados por ti, sempre bem descrito e com muito capricho!
    Parabéns!

  • Foto de Deivison Vieira

    Deivison Vieira 21/jul/2016

    I have followed this trail  View more

    Trilha muito difícil e exigente tanto psicologicamente com fisicamente.

  • Foto de nivaldo_cwb

    nivaldo_cwb 29/ago/2016

    trilha eh show + exige condicionamento físico trilha pesada muito sobe e desce experiencia pois eh fácil se perder devida as marcações #

  • Foto de VINICIUS KEPKA

    VINICIUS KEPKA 3/jan/2017

    I have followed this trail  View more

    Ir mto bem preparado... vale mto a pena

  • Foto de gvogetta

    gvogetta 23/jan/2017

    Salve!
    Considere passar a usar "Siririca", ao invés de Ciririca, pois a raiz linguística Tupi-Guarani parte de Siri, Siririca. o "C" é um desvirtuamento que infelizmente "pegou".

    No mais, parabéns pelo ótimo tracklog.

    Bons ventos!

  • Foto de Johnny S

    Johnny S 23/jan/2017

    Muito Obrigado amigo pelo aviso e correção, como encontrei alguns materiais sempre achei que a forma errônea fosse a correta. Grato.

  • Foto de Alexandre Arins

    Alexandre Arins 23/jan/2017

    Olá Getúlio, desconhecia esse desvirtuamento, mas já que pegou fica mais fácil de acharem por este nome (através da pesquisa). Vou adicionar um aviso nos comentários.

    Lembro-me de ter visto um artigo na Ivituruí Montanhismo que dizia que Ciririca significa "Grande-mãe-caranguejo". Foi me dito por um grande especialista em aves do Paraná, ao ver uma foto minha da famosa "rampa do (S)iririca" que na verdade o significado seria "escorregar", fazendo muito mais sentido, tanto para a nomenclatura da formação quanto para a utilização popular do termo, haha.

    Abraço!

  • eduardo de mio 16/fev/2017

    I have followed this trail  View more

    Trilha Pesada, na epoca que fiz algumas vezes (1995 a 2000) a trilha era bem definida mas marcação, exige atenção para evitar perdidos.. Maior parte da trilha dentro do mato, com visual só nas duas horas finais ou menos, mas o visual do cume em dias abertos é sensacional.. A variante, via Camapuan, Tucum também é bem bacana, mas bem mais pesada e demorada.

  • Foto de carlos steinhoefel

    carlos steinhoefel 11/fev/2018

    Show de bola. Obrigado por compartilhar

  • Foto de carlos steinhoefel

    carlos steinhoefel 11/fev/2018

    Show de bola.

  • Foto de robram2004

    robram2004 28/mar/2018

    Em quanto tempo vcs fazem um bate e volta?

  • Foto de nivaldo_cwb

    nivaldo_cwb 28/mar/2018

    Depende do condicionamento físico fizemos em 5 hrs/5hrs

  • Foto de guilherme_budiga

    guilherme_budiga 6/jun/2018

    Fizemos em 5:20 subida 5:00 descida

  • Foto de Luis Felipe Ribas

    Luis Felipe Ribas 15/jun/2018

    I have followed this trail  View more

    Mapeamento muito bom.
    Fiz esta trilha no dia 08/06/2018 (ida) e no dia 10/08/2018 (volta).
    Há tempos queria conhecer o Ciririca.
    Trilha lindíssima e bem técnica. E o visual lá de cima é perfeito!

  • Foto de Michele Ramos

    Michele Ramos 16/set/2018

    Sua descrição é perfeita !
    Fomos acampar no Ciririca sem conhecer a trilha , nós perdemos em um momento mas já voltamos a trilha , sua descrição ajudou muito.

You can or this trail