Horas  7 horas 31 minutos

Coordenadas 1324

Uploaded 7 de Junho de 2016

Recorded Junho 2016

-
-
1.911 m
1.428 m
0
2,6
5,2
10,4 km

Visualizado 870 vezes, baixado 25 vezes

próximo a Penhas da Saúde, Castelo Branco (Portugal)

Com inicio no parque de estacionamento em frente ao centro de limpeza das neves, nos Piornos, descemos ao cervunal da Nave de Sto. António, construindo um trilho circular, no sentido contrário aos ponteiros do relógio, que nos leva a descer até ao Covão da Ametade, onde principiamos o nosso trilho de montanha.

A partir daí, a subida até ao Covão Cimeiro começa por ser algo ingreme, mas faz-se bem, e a pouco e pouco vamos deixando para trás a pequena floresta de vidoeiros, o Covão da Ametade.

Quando chegamos ao Covão Cimeiro e avistamos o maior anfiteatro natural da Serra da Estrela, onde as primeiras águas do Zêzere se juntam, depois de drenadas das encostas dos Cântaros, para seguirem o seu caminho natural em direção aos níveis inferiores, rumamos à nossa esquerda, descendo até á orla do cervunal, seguindo ao encontro do caos de blocos graníticos que nos levam à cascalheira da “Rua das Roseiras”. Agora é que começa a subida penosa até ao nível superior do Cântaro Magro, sobranceiro à estrada (a subida ao cume ficará para outra etapa).

A paisagem majestosa do Cântaro, vista do sopé, mete respeito e quando chegamos ao cimo, a sensação de termos cumprido o desafio para o qual nos preparamos é gratificante.

A partir daqui todo o resto do percurso é fácil, apenas uma pequena subida sem complicações até ao Cântaro Raso, adornado no seu cume com um círculo de mariolas gigantes, avistando-se deste ponto uma paisagem de encher o olho e o coração, com vista para todos os quadrantes (a Torre, os outros Cântaros irmãos, o Poio do Judeu, a Nave Sto.António, a Lagoa do Viriato, os Poios Brancos, a Ametade, o Vale Glaciar), e depois descemos ao Covão do Boi (Sra. da Estrela) e iniciamos a longa descida pelo Espinhaço de Cão (Trilho do Major), com vistas para o Covão do Ferro, a barragem do Padre Alfredo e o vale glaciário de Alforfa, caminho que nos leva de novo à Nave de Sto. António, passando pelo fontanário e daí ao ponto de partida, concluindo mais um percurso fantástico nesta Serra maravilhosa.

Pontos de interesse:
- todo o percurso é de uma beleza ímpar, destacando-se o cervunal da Nave de Sto. António, o Covão da Ametade, os Cântaros, a área do Covão do Boi, onde se encontra a Senhora da Estrela (imagem esculpida na rocha), as vistas para o Covão do Ferro com a sua barragem e o vale de Unhais.

Recomendações:
- embora seja tentador é mais prudente deixar a subida ao outro Cântaro (o Gordo) para outra etapa, porque a caminhada se pode tornar penosa e há que desfrutar a envolvente;
- fazer este percurso exige estar minimamente preparado e em boa forma;
- tomar um bom reforço antes do início desta caminhada e, ao longo das subidas, ingerir regularmente pequenas doses de frutos secos açucarados ou barras energéticas;
- não fazer este percurso sozinho e informar ao que vai, a alguém próximo, ou às autoridades (ter em conta a inexistência de rede móvel, só o 112);
- estudar bem este percurso ou o de outros caminheiros que já o fizeram.
Inicio
Desvio para pequena floresta
Floresta
Início da subida
Vista para o Covão da Ametade
Covão Cimeiro
Caos de blocos graníticos que levam ao corredor das "Roseiras"
Pormenor do percurso.
Vistas e caminho para o Covão do Boi
Covão do Boi (cervunal e "queijeiras", blocos e colunas rochosas)
Cântaro Raso e vistas
Senhora da Estrela
Pormenor do percurso.
Covão do Ferro, barragem do Padre Alfredo e vale glaciário de Alforfa (Unhais)
Vista para o Vértice Geodésico de Cascalvo
Fontanário da Nave de Sto.António
Fim
Fonte da Jonja, Vale Glaciar do Zêzere e Cântaros
Pormenor da subida
Corredor da "Rua dos Mercadores"
Refúgio de montanha e cervunal na Nave de Sto.António
Covão da Ametade
Cascalheira da "Rua das Roseiras"

Comentários

    You can or this trail