-
-
1.777 m
74 m
0
26
52
104,69 km

Visualizado 454 vezes, baixado 12 vezes

próximo a Urubici, Santa Catarina (Brazil)

Dia 1 - 15 de Julho de 2016.
Roteiro: Urubici a Braço do Norte
Atrações: Morro da Igreja e Serra do Corvo Branco
Distância: 106,68 km
Ganho de Elevação: 1839 m

Saímos de Londrina as 21h00min e chegamos em Urubici as 7h30min. Fomos direto a pousada do Prof. Verto para tomar um café da manhã e iniciar os preparativos. O carro ficou na pousada durante todo o período do pedal.

O nosso primeiro destino foi a subida do Morro da Igreja e a vista da pedra Furada. O acesso ao morro da Igreja é permitido somente com uma autorização e esta é retirada na sede do ICMBio em Urubici, das 08h as 12h e das 13h as 16h30min. A sede está localizada em uma rua paralela a avenida principal, atrás do Banco do Brasil. A Aeronáutica é quem administra a estrada. Sem a autorização você conseguirá subir somente 6 quilômetros, na entrada da cachoeira e restaurante Véu da Noiva.
Do início do trajeto até o km57, o percurso é realizado no asfalto, inclusive a subida do morro da Igreja.

O início da subida ao morro da Igreja ocorre no km13,5. Como já sabíamos que o ganho de elevação é alto, e para não “queimar a largada” já no primeiro dia, deixamos os alforjes em uma banca que vende pinhão e queijo, localizada no início da subida. A distância até o topo do morro é de aproximadamente 16,5 km e demoramos em torno de 2 horas para subir. As subidas iniciais são bem íngremes e os quilômetros rodados passam bem lentamente. Durante a subida, o tempo estava nublado e o nosso sentimento era que iríamos enxergar somente nuvens no mirante do morro. Mas nos últimos quilômetros o tempo abriu. Apesar do vento forte e enorme frio, o visual é de matar! Apreciamos a paisagem e iniciamos a descida. Paramos no Véu da Noiva para contemplar a cachoeira. No local há um restaurante, com buffet livre e venda de pastel frito. Para visitar a cachoeira é necessário pagar uma taxa de R$5,00. No final de descida, pegamos os alforje, comemos uma porção generosa de queijo e salame caseiro e pinhão cozido. O pinhão deu um bom “gás” para o pedal (e para aquecer o quarto a noite)!!!

O próximo destino foi a Serra do Corvo Branco. Após uma subida, chegamos na clássica fenda da serra. O tempo estava muito nublado e ficamos esperamos por uma hora, mas as nuvens não foram embora. Seguimos adiante curtindo a descida da serra. A descida é bem longa. O terreno na parte baixa da serra é argiloso e como choveu bastante nos dias anteriores, em vários trechos havia muita lama de argila. Foi um caos!! Empurramos bastante as bikes, pois as rodas não giravam. A argila grudava nas rodas e em toda parte da bike. Nesse momento a marcha não parava em nenhuma posição, um perigo para quebrar o câmbio e a gancheira. Alternando entre empurra e pedala, no km73,5, chegamos no distrito de Aiuré. Paramos para comprar água, e batendo um papo com pessoal do bar, conseguimos usar uma mangueira para lavar a bike. Foi uma enorme ajuda!!

De Aiuré até a próxima cidade, Grão Pará, foram mais 16km em uma boa estrada de terra. Chegamos em Grão Pará debaixo de uma forte chuva. Em Grão Pará não há pousada ou hotel e, por isso, há necessidade de seguir até a cidade de Braço do Norte. Braço do Norte fica a 12km de Grão Pará e o acesso é feito por uma rodovia com acostamento.

Ficamos hospedados no Rech Palace Hotel, em frente da praça da Igreja. No estacionamento do hotel lavamos novamente as bikes. O hotel é o típico “bom e barato”. Chuveiro quente, cama boa, bom café da manhã e excelente atendimento. As bikes ficaram em um lugar fechado. O outro hotel disponível na cidade estava lotado.

Hospedagem: Rech Palace Hotel
Endereço: Pça. Pe. Roher, s/nº Ao Lado da Igreja Matriz Nosso Senhor do Bom Fim - Centro
Telefone: (48) 3658-2202
Quarto duplo + individual: R$180,00

Costa Nobre Hotel
http://www.costanobrehotel.com.br/
Apto triplo R$ 190,00

Comentários

    You can or this trail