• Foto de Expedição Dê-éFe (Pedal Romeiro Trindade Só Chão) Primeiro dia: Gama DF a Corumbá GO
  • Foto de Expedição Dê-éFe (Pedal Romeiro Trindade Só Chão) Primeiro dia: Gama DF a Corumbá GO
  • Foto de Expedição Dê-éFe (Pedal Romeiro Trindade Só Chão) Primeiro dia: Gama DF a Corumbá GO
  • Foto de Expedição Dê-éFe (Pedal Romeiro Trindade Só Chão) Primeiro dia: Gama DF a Corumbá GO
  • Foto de Expedição Dê-éFe (Pedal Romeiro Trindade Só Chão) Primeiro dia: Gama DF a Corumbá GO
  • Foto de Expedição Dê-éFe (Pedal Romeiro Trindade Só Chão) Primeiro dia: Gama DF a Corumbá GO

Coordenadas 26893

Uploaded 5 de Dezembro de 2017

Recorded Dezembro 2017

-
-
1.263 m
878 m
0
28
56
112,78 km

Visualizado 106 vezes, baixado 5 vezes

próximo a Gama, Distrig Kevreadel (Brazil)

Ciclo Viagem
“Pedal Romeiro Trindade Só Chão”
Ciclo viajantes Regis Benes e Náufrago 171.
Em primeiro, 2 e 3 de dezembro de 2017, giraram-se os pés de velas de duas bicicletas na Ciclo Viagem “Pedal Romeiro Trindade Só Chão”, idealizada pelo ciclista Regis Benes....
Eu, Náufrago 171 ( expedicionário da Expedição Dê-éFe - http://nicttu.blogspot.com.br/…/…/expedicao-de-efe-2016.html ) fui como convidado nessa romaria. (Regis Benes, Meu muito obrigado, sinta minha gratidão)...
Os ciclos viajantes saíram só contando com o apoio das localidades por onde iria passar... com o objetivo de percorre 273km em 3 dias por estradas de chão batido.
Portanto, foi necessário levar o mínimo necessário para o caminho, como: roupas, água e alguns acessórios de segurança, de manutenção da bicicleta...
Assim, eu (Náufrago) contando tudo, menos meu peso corporal, estava conduzindo 27kg (20kg bicicleta e pendurados e mais 7kg no corpo) confesso que no início fique meio tenebroso, mas depois dos 15km nem lembrava mais do peso... (mesmo treinando com a bicicleta pesada, simulando a ciclo viagem na hora de partir quase deu mi mi mi)...
Dia I (início)
No primeiro de dezembro , às 6h24, saímos da cidade do Gama Distrito Federal serpenteando as áreas rurais, logo nos 40,5km, alcançamos a divisa de estados ( Distrito Federal/Goiás), Adentramos na Cidade de Santo Antônio do Descoberto de Goiás, ali tomamos mais um café reforçado, pedimos pães com ovos (estralados) para viagem, nos 91km chegamos na Bodega do Sr Zé Botinha, nesses quilômetros percorridos não vimos o Sol (assim por todo o dia) , houve muitas nuvens negras, chuvinha fina e ventostostostostos, muito lamamamama, parecia na subida que a bicicleta colava no chão... mesmo sem o sol, o visual em verde na terra era hiper exuberante, fantástico...
Depois do Zé Botinha,. os 24km foram em um asfalto colocado há pouco, o engenheiro que o planejou deu uma sacaneada no percurso, esse trecho ficam 3 decidas e 3 SUBIDÕESDÕESDÕESDÕES....
Em todo o percurso passamos por áreas semi- urbanas e rurais, prevalecendo o cerrado e algumas verdejantes pastagens com gados curiosos com nossa passagem, alguns rebanhos até nos acompanharam com seus trotes ... vimos papagaios, curitacas, carcarás, e até urubus na árvore de asas abertas tentando enxugá-las para alçar seus voos; algumas seriemas com seus cantos de acasalamentos, além da sonoplastia de diversos cantos de pássaros de espécie conhecidas e ou outras ainda não...
Às 15h24, depois de 115km, com 1.601 ganho de altimetria e 8h26 de tempo de movimentação por estradas de terra e um pouquinho de asfalto chegamos a Cidade de Corumbá de Goiás.... Ali, nos hospedamos na Pousada Gaucho’s e almoçanjantamos no Restaurante “Casa da Picanha”... Claro, a cevada foi degustada...
Durante o percurso (e nos demais), os ciclos viajantes permaneceram lado-a lado, onde fluíram dezenas de assuntos hiper bacanas.... trocamos muitas ideais, entre elas fabulamos assuntos de viagens já vividas...
JOVEM, FOI HIPER GRATIFICANTE ESSA PEDALADA ROMEIRIANA....
Dia II (meio e um pouco a mais)
Em 2 de dezembro, às 7h05, (Corumbá de Goiás) saímos da pousada, logo passamos na padaria, abastecemos nossos organismos com o café da manhã e pegamos pões com ovos e queijos, bastante água e isotônicos para um reforço um pouco a frente, pois, já sabíamos, que em 49km (até o Distrito de Interlândia), não iriamos deparar com nenhum apoio local nem rios...
Ao saímos da padaria, logo passamos na Igreja Nossa Senhora Da Penha De França, em seguida, partimos por uma subidinha calçada por pedra aqui, paralelepípedo ali, um pouco de asfalto acolá, e e e logo achamos o que queríamos.... CHÁO CHÃO CHÃO...
O dia estava como o antes, escuro, sem a cara do Sol, nuvens cinzas e negras, com aquela cara de chuva, chuva, chuva, ( assim foi o dia inteiro , uma chuva aqui, um vento ali, uma chuva, mais outra a frente)...
O chão bemmm molhado ou naquele instante ou sendo molhado....
O trecho entre Corumbá e Interlândia, o passeio é horas por tuneis verdes, horas donde estais é possível ver uma panorâmica paisagem de perto até ao alcance das retinas, momento de se dar uma pausa nos pés de velas e comtempla o próximo e o finito... como cada ser busca uma magia na natureza, nesse trecho não tem como não encontrar o que queres buscar...
Dos 8km aos 33km desse trajeto, passa-se por estrada de acesso a fazendas (sem movimentação), é margeada por pastagens... e um terreno pouco acidentado com alguns platores. Nos platores o giro desenvolve...
Depois dos 33 km até Interlândia é mamão com açúcar... do lado esquerdo grandes plantios de eucaliptos, do direito, pastagens...
Foi visto um pé de cactos florido em uma das entradas de fazenda ( é bem possível que o fazendeiro seja da região do nordeste)...
Em meio a esse trajeto, por cerca de um quilometro fomos agraciados por um a constante revoada de periquitos com suas cantaroladas...
Às 11h30, chegamos a Interlândia, ali almoçamos no Restaurante Pit Stop Rota 153 localizado no posto de combustível....
Ás 13h, partimos para cumprir a jornada do dia.
O camarada Regis Benes se preparou com o corta vento (capa de chuva) para se proteger caso a chuva aparecesse... Eu dei uma olhada para a direção que iriamos e arrisquei a não me proteger.... bom não foi nem 500 metros e a água caiu, eu lamentei pra c.r.lh... bom encharquei.... e ainda tive de ouvi que leve minha proteção de chuva só para passear... risos....
Mas, logo com 5km alcançamos o Distrito de Sousânia, a chuva já tinha passado ali, paramos e comtemplamos a Igreja Nossa Senhora D' Abadia.... como a 3km de Sousânia você despenca, então no sentido do outro lado já imagina o paredão com os mesmos km ( dito e feito), mas daí a frente o ciclo viajante gira no chão entre bananeiras e começam as gangorras ( desce sobe desce sobe desce sobe.........) entre fazendas de gados e outras com plantios de bananas...
Depois de 17km de Sousânia é alcançada a cidade de Ouro Verde, ali o camarada Regis Benes, resolveu tomar um sorvete... no momento, que estávamos protegidos na soveteria, caiu uma chuva intensa de deixar qualquer um encharcado... “O LÁ DE CIMA, BROTHER DO CAMARADA REGIS (CLARO, MEU TAMBÉM) nos poupou desses pingos...
No trecho foi encontrada uma serpente com a vida ceifada, por algum ser humano que veio a cruzarem os caminhos.... fato não necessário, mas tem seres humanos e seres humanos...
logo, saímos e passamos pela Igreja Matriz de São Sebastião, dali um pouco a mais alcançamos a estrada de chão... com uma panorâmica dando muito entusiasmo ao giro , a alegria, a beleza ímpar daquele trecho... começamos a circular por dezenas de pequeníssimas gangorras , onde na decida quase já subia o outro lado de grátis... passamos por diversas fazendolas ( sitiozinhos) com seus pastos esverdeados e os animais de barrigas cheias, muitos deitados só ruminado... passamos no encontro das Ferrovias Norte e Sul... por imenso plantios de hortaliças ( destacando os plantios de abobrinhas e quiabos)...
Por ser tão gratificante passar nesse trecho a distancia e o tempo são esquecidos... tudo fluiu magicamente...
Bom, Às 17h28, depois de 107km, com 1.689 ganho de altimetria e 9h30 de tempo de movimentação por estradas de terra chegamos a Cidade Nova Veneza, nos hospedamos no Hotel Amaral, depois de tomamos um banho e colocar roupas quentes , fomos a um boteco tomar uma quente e umas geladas, aí mais uns passos adentramos a Cantina Nova Veneza e nos alimentamos de massas a moda italiana....
Esse segundo trecho entre Corumbá a Nova Veneza é maravilhado com paisagens legais de contempla... é bem maneiro como nós passamos girando ali, em ritmo de ciclo viagem, só na prosa, só deixando as retinas e o ser mirar os 360 graus....
Pedal com giro punk a moda ciclo pedalante romeiro show...
Dia III (fim da jornada dos romeiros)
Em 3 de dezembro, às 7h29, partimos de Nova Veneza, ainda na cidade, demos aquela olhadinha na Igreja Matriz de Nossa Senhora do Carmo, mais a frente uma parada no portal e seguimos em direção a cidade de Brazabrantes, passamos pelo túnel da ferrovia e outros tuneis arcados pela natureza....
Com 12km alcançamos na Cidade de Brazabrantes, ali uma parada em frente a Igreja São João Batista, passamos no comercio para colher uma hidratação e seguimos.... SEMPRE PROSEANDO COISAS BOAS E CONTANDO HISTÓRIAS E ESPERIENCIAS VIVIDAS...
Por entre tuneis de matas, de eucaliptos, de arbustos, isso espalhados aqui e ali em mais 12km em estrada de chão alcançamos na Cidade de Goianira, ali giramos pela avenida central, fizemos uma hidratação e buscamos novamente o chão da trilha... ao alcançamos, já partiu em uma doce decida e aí pela frente, lama, passagens de chuvas e intensos toneis de matas.... pelas lacunas entre as árvores foi vistas várias agriculturas, entre elas, plantios de mandiocas...
Na estrada foram vistas algumas serpentes ceifadas (fatos desagradável de ataque de seres humanos)...
Com as paradas das chuvas, instantaneamente se ouvia muitos cantos de pássaros...
É um percurso hiper leve, gostoso de girar, bom para meditar, fluir bem estar.... bom!!! uma só maravilha....
Às 11h40, depois de 52km, com 689 ganho de altimetria e 4h19 de tempo de movimentação por estradas de terra chegamos a Trindade... Registramos a entrada no portal da cidade e seguimos até uma padaria, ali demos uma reforçada na alimentação e degustamos umas cevadas... Aí partimos até a Basílica do Santuário Divino Pai Eterno...
MOMENTO DA CONQUISTA DO PEDAL ROMEIRO TRINDADE SÓ CHÃO...........
Fechamos o ”Pedal Romeiro Trindade Só Chão” com muita paz de espírito, sem incidentes, sem a cara do Sol em três dias, com muitas nuvens de chuva derramando água no solo dando abundancia a natureza a deixando-a com uma única cor exuberante e fazendo as sementes brotarem fortes, tivemos bons momentos de prosa e também, momento SOLO de conversa com Deus e conversando com o EU...
Deus, sinta nossa gratidão, por nos livrar de algum mal, por ter guiado as bicicletas e nos guardado em todo caminho....
Regis Benes, muito obrigado pelo convite e por sua generosidade, Deus (nosso BROTHER) te recompensará em dobro....
VALEU JOVEM...
Em 2018, vamos inventar uma boa aventura com as graças de Deus....

Comentários

    You can or this trail