Horas  2 dias 8 horas 33 minutos

Coordenadas 17198

Uploaded 21 de Abril de 2019

Recorded Abril 2019

-
-
1.217 m
21 m
0
237
474
948,63 km

Visualizado 466 vezes, baixado 36 vezes

próximo a Chaves, Vila Real (Portugal)

|
Mostrar original
Nós temos uma estrada na Europa que pode competir com a American Route 66. Uma única estrada de 738,5 km N-2. Atravessa Portugal de norte a sul, de Chaves a Faro. Um desafio à modernidade, às estradas, às áreas impessoais da estrada, à lógica. Uma imersão na essência de um país, que nos fará entender o que "saudade" significa.
O percurso tem vários incentivos. Vamos começar com o simples fato de segui-lo da maneira mais fiel possível. Em muitas seções, os montes N-2 não são contínuos e os sinais indicativos são escassos. Às vezes atravessa as cidades, como antes de qualquer estrada, pelo centro. Mas a rua não é mais reta, agora há semáforos, significados obrigatórios, até quando paramos querendo encontrá-la, vemos o marco. É verdade, podemos seguir mapas do Google, embora nem sempre liguem as seções, devemos ir para a intuição. Às vezes a tentação de sair é forte, ao lado de uma nova rodovia, enquanto desenhamos muitas curvas.
Mas sim, dissemos que tem incentivos e há muitos. A estrada atravessa cadeias montanhosas solitárias, encostas em socalcos, onde se verá o nascimento do vinho do Porto, campos floridos. Introduz-nos plenamente em cidades com habitantes observando a vida passar. Não há uma única estrada para o sul, em direção ao Algarve. Cada um de nós constrói uma rota, que será irrepetível. Muito perto da estrada, temos a tentação de ver cidades esplêndidas como Coimbra, Tomar ou Évora. Decidimos seguir a estrada o mais fielmente possível.
Nós quebramos essa regra, quando saímos para visitar Arouca. A maneira como vamos fazer isso por uma estrada, que em um dia chuvoso é digno da Islândia. O objetivo da nossa viagem é o 306. PASADIZOS DE PAIVA . Oito quilômetros de passarelas, escadas e pontes suspensas seguindo o rio Pavia, no meio de uma natureza exuberante.
Começamos a nossa viagem em Chaves, apenas a 10 kms. da fronteira espanhola. E que melhor maneira de fazer isso com um banho nesta cidade termal? A busca pelo ponto de partida nos leva a uma simples rotatória: atrás não há indicação, à frente, o satélite e a estrada nos guiam. E nada melhor para perceber que estamos em uma estrada traçada tradicionalmente, do que se envolver em um contínuo slalom de curvas. Atravessamos uma área de spa, as aldeias vizinhas de Vidago e Pedras Salgadas. Estamos em Trás os Montes, passamos o Rio Lamego em Chaves, que corre para atender o Douro. E, claro, os vinhedos aparecem, aos milhares, em terraços que se estendem a ravinas profundas.
Também encontramos cidades monumentais, como Vila Real e Viseu, onde a pedra domina os seus monumentos. E o azulejo azul, distintivo de Portugal. Os quilômetros e as curvas seguem um ao outro. Hora de meditar, conversar dentro do carro, apreciar os milhões de músicas do spotify.
Ao chegar ao Centro Geodésico de Portugal, saberemos que estamos no meio da nossa viagem. Encontramos o Alentejo, a réplica da Extremadura. Entramos no prado onde as árvores curtas e oliveiras aparecem. Longe estão pinheiros e eucaliptos. Próximo do mar, o troço entre Almodôvar e São Brás de Arportel foi declarado património nacional e os sinais reabilitados. A casa dos peões, cantoneiros, parece branca quando nos preparamos para tomar mais mil curvas. A chegada a Faro é a de qualquer cidade grande, a N2 vai fundo num momento a desaparecer, tal como começou.
A vida na estrada tem seus próprios ritmos, as descobertas de restaurantes escondidos, escolas com entrada feminina e masculina. Paramos para pedir um endereço e às vezes até nos acompanham. A pressa é contrária a essa jornada, não é preciso definir estágios que a própria estrada está dizendo. Ao retornar, trazemos de volta memórias e também o significado da estrada saudade.
|
Mostrar original
Waypoint

Chaves. Inicio N2

O nome de Chaves ("chave"), foi-lhe dado por sua qualidade de entrada a Portugal, ao ser localizado a 10 km da fronteira espanhola. Esta posição estratégica deixou-lhe um passado histórico definido em guerras contra os romanos, visigodos, árabes, franceses e espanhóis. Atualmente Chaves é famosa por seus spas, já existentes na época romana. Chaves é o ponto de partida, vamos deixar exatamente onde o início do N-2 está marcado no google maps
|
Mostrar original
Spa

Vidago

Prestigiosa estação termal, Vidago foi no século XIX a preferida da corte portuguesa, sendo por isso considerada a "rainha das termas". Os banhos termais estão em um edifício impressionante.
|
Mostrar original
Spa

Pedras Salgadas

Estação de Spa. Na imagem fotográfica da antiga estação ferroviária que ligava Vila Real a Vidago, no momento e na época em que o comboio funcionava.
|
Mostrar original
Waypoint

Escuela de Vilarinho de Samarda.

Localizada fora da área urbana, esta escola tem entradas separadas para "sexo feminino" e "sexo masculino". Nós imaginamos que os centros serão para professores.
|
Mostrar original
Waypoint

Vila Real

Vila Real tem alguns edifícios aristocráticos, com brasões, janelas manuelinas e tradicionais varandas de ferro forjado. É uma cidade antiga, localizada na confluência dos rios Corgo e Cabril, enquadrada pelas cadeias montanhosas de Alvão e Marão a oeste, e a cordilheira de Montemuro a sul.
|
Mostrar original
Waypoint

Peso de Regua

A cidade de Peso da Régua é a porta de entrada para toda a região do vinho do Porto, também conhecida como a área de Corgo.Na estrada de acesso, um grande engarrafamento impediu-nos de entrar. Perto está um grande viaduto e vinhas nas encostas, uma imagem autêntica da área.
|
Mostrar original
Waypoint

Lamego

Bela cidade que se diz ser a cidade com maior concentração de monumentos históricos por metro quadrado de Portugal. Destaca-se, e já merece uma visita justamente por isso, o Santuário de Nossa Senhora dos Remédios. Igreja barroca do século XVIII. Da caminhada você pode ver os 686 degraus que, através de uma escadaria artística, nos levam ao topo.
|
Mostrar original
Waypoint

Arouca

Arouca, é uma cidade interior, que mantém todos os seus costumes, e também tem nas suas proximidades os passadiços de Pavia. Destaca-se sua praça principal, onde cada Semana Santa celebra uma procissão, que dependendo do tempo, faz um retorno completo à cidade, ou simplesmente atravessa a praça unindo uma igreja à outra. Menção especial merece a estrada de acesso, que já justifica a viagem. Uma estrada bem preservada, antiga e solitária com as finas montanhas de vegetação, mas mostrando todas as cores ocre e verde Parece que estamos na Islândia.
|
Mostrar original
Waypoint

Viseu

Viseu é uma cidade que exige um passeio tranquilo. Seu centro histórico, tem ruas de design medieval, que convergem em sua parte mais significativa a Plaza de la Catedral. Esta cidade tem o privilégio de ter a primeira posição no ranking de qualidade de vida em Portugal.
|
Mostrar original
Waypoint

Penacova

Penacova é uma das muitas aldeias do N-2. Mas quando passamos, fomos surpreendidos por um edifício em uma imponente colina que presidia a cidade. Acabou por ser um hotel nessa altura abandonado Decidimos subir e valeu a pena as boas vistas num excelente ambiente. Perto dali, a estrada dá inúmeras voltas, enquanto ao nosso lado a estrada vê os veículos correndo.
|
Mostrar original
Waypoint

Vila de Rei

Vale a pena parar nesta localidade. Retas, ruas de paralelepípedos e uma fonte com história. Na frente de outra das razões para o nosso parar o restaurante do hotel El Cobra, um clássico da área, com boa cozinha e excelente equipe.
|
Mostrar original
Waypoint

Centro geodesico de Portugal

A uma curta distância da estrada encontramos um grande pelourinho, que representa o centro geodésico de Portugal. Perto de um museu, e acima de tudo, uma vista formidável da região.
|
Mostrar original
Waypoint

San Genaldo

O N-2 passa pelo centro de San Genaldo. Até mesmo um semáforo, regula a passagem em cada direção. Não podemos parar de parar para observar suas casas índigo.
|
Mostrar original
Waypoint

Alcaçovas

Esta cidade, hoje de pouca atividade, foi palco de um tratado transcendental. Neste importante tratado, Castela foi reconhecida como possuidora das Canárias proibindo-a de navegar para o sul do Cabo Bojador, e Portugal foi concedido domínio sobre os Açores, a Madeira e tudo o que foi "descoberto e não descoberto" ao sul do Cabo.
|
Mostrar original
Waypoint

Ervidel

Atravessamos esta aldeia, perto de Aljustrel, de onde incluímos as fotografias.
Waypoint

Almodovar

Situado en una rotonda nos encontramos esta curiosa estatua.
|
Mostrar original
Waypoint

Casa de cantoneiros

Um cantoneiro é uma pessoa responsável pela manutenção e construção de estradas. De uma região (ou cantão de onde a palavra deriva). Alguns estão perfeitamente preservados, como o da fotografia nas proximidades de Faro. Nas outras fotografias, imagens da paisagem desta parte sul do Algarve
|
Mostrar original
Waypoint

Faro. Fin N-2

A estrada termina no meio da cidade. Está entrando em seu capacete urbano. O ponto final é desenhado de acordo com o google maps no momento em que as referências desaparecem

Comentários

    You can or this trail