-
-
196 m
137 m
0
2,8
5,7
11,33 km

Visualizado 1004 vezes, baixado 49 vezes

perto de Azinhal, Beja (Portugal)


Descrição do Percurso:

(PT)

O percurso inicia-se na pequena aldeia do Azinhal, integrada numa área alternada de montado com uma área de extensa planície. A terra empobrecida apresenta uma cor “pálida”, fazendo jus à designação de “campo branco” que vulgarmente se atribui a estes territórios. Saindo do Azinhal por uma estrada de terra batida, em direção a Oeste, rápido chegamos ao Monte barbeiro. Monte este, tipicamente alentejano de pequena dimensão à semelhança do Monte Peso a uma curta distância um do outro. Seguindo sempre a mesma direção, e deixado o Monte Peso para trás, chegamos a uma estrada de asfalto onde seguimos pelo lado esquerdo. O trajeto de asfalto é curto, rapidamente chegamos à aldeia Corte Pequena, aldeia esta de origens medievais.
Chegado à aldeia, seguimos agora em direção Este, até ao Monte Balança, novamente por uma estrada de terra batida. O Monte Balança, assim chamado por estar associado à antiga pesagem do minério. Este minério, provinha das minas da Balança, pertencente à faixa piritosa Ibérica, reconhecida mundialmente.
Ao prosseguir a caminhada, não muito distante das minas, deparamo-nos com uma azinheira de grande dimensão, do nosso lado direito.
O final do percurso, quase em reta até à aldeia do Azinhal, é comum a observação de aves. Uma zona caracterizada como uma das mais importantes comunidades europeias de aves estepárias, nomeadamente, a abetarda, cortiçol-de-barriga-preta, sisão, grifo, abutre-preto, águia-imperial-ibérica, entre outros. Ao se aproximar da aldeia do Azinhal encontra-se numa área concentrada de montado de azinho, rica sob o ponto de vista dos valores naturais. Esta é uma zona de alimentação para o grou e o habitat perfeito para muitas espécies cinegéticas como o coelho, a lebre, a perdiz e o javali.
Terminado o percurso com a chegada à aldeia, sugerimos uma subida à Serra da Alcaria Ruiva, o ponto mais elevado do concelho, com uma soberba vista panorâmica sobre a planície.

(ENG)

The route begins in the small village of Corte Pequena, built into an area of extensive cereal growing plain that extends throughout most of the neighbouring district of Castro Verde. The impoverished land has a “pale” colour, giving it the deserved name of “Campo Branco” (“White Field”) by which these territories are commonly known. Due to its characteristics, the area is home to one of the most important European communities of land birds, with the Bustard, the Black-bellied Sandgrouse and the Little Bustard being commonly observed, among others. As the journey progresses, near the village of Azinhal, the barren landscape of the plains gives way to a concentrated area of holm oak groves, also rich from a nature standpoint. This is an area where cranes feed and the perfect habitat for many game species, such as rabbits, hares, partridges and wild boar. The groves extend to Minas da Balança, which bears witness to an old mining site. Monte da Balança, so called due to its former links to weighing ore, is another good place to watch land birds. The route continues along a rural path back to the village of Corte Pequena. At the edge of the village, in periods of heavy rain, the bed of a small watercourse swells, which sometimes makes passing difficult. Before departure, we recommend a climb to the Nossa Senhora de Aracelis Sanctuary, and on the EN 123 itself, on the way back to Mértola, climbing to Serra de Alcaria Ruiva, the highest point of the district with a panoramic view and the ideal spot for watching birds of prey like the Black Vulture, the Griffon Vulture, the Iberian Imperial Eagle or the Golden Eagle.

(ESP)

La ruta comienza en la pequeña aldea de Corte Pequena, integrada en un área de extensa planicie cerealífera que se extiende por casi todo el municipio vecino de Castro Verde. La tierra empobrecida presenta un color “pálido”, haciendo honor a la designación de “Campo Branco (Campo Blanco)” que vulgarmente se le atribuye a estos territorios. Por sus características la zona alberga una de las más importantes comunidades europeas de aves esteparias, siendo común la observación de la avutarda, de la ganga ortega y del sisón común, entre otras. A medida que avanza la ruta, en las proximidades de la aldea de Azinhal, el paisaje árido de la planicie da lugar a un área concentrada de dehesa de encina igualmente rica desde el punto de vista de los valores naturales. Esta es una zona de alimentación para la grulla y el hábitat perfecto para muchas especies cinegéticas como el conejo, la liebre, la perdiz y el jabalí. La dehesa se extiende hasta el lugar de las Minas de Balança que da testimonio del lugar de una antigua explotación minera. El Monte da Balança, así llamado por estar asociado al antiguo pesaje minero, es un buen lugar para observar una vez más aves esteparias. La ruta continúa por un camino agrícola de nuevo hasta la aldea de Corte Pequena. En los límites de la aldea, en períodos de lluvia intensa el lecho de un pequeño curso de agua gana cuerpo dificultando el paso por momentos. Antes de partir, le recomendamos que suba al Santuario de Nª S.ª de Aracelis y una vez en la EN 123 de regreso a Mértola que suba a la Sierra de Alcaria Ruiva, el punto más elevado del municipio con una vista panorámica y el punto ideal para la observación de aves de rapiña como el buitre negro, el buitre leonado, el águila imperial ibérica o el águila real.

Comentários

    Você pode ou esta trilha