Tempo em movimento  uma hora 18 minutos

Hora  2 horas 44 minutos

Coordenadas 452

Enviada em 5 de Maio de 2019

Registrada em Maio 2019

  • Avaliação

     
  • Informações

     
  • Fácil de fazer

     
  • Paisagem

     
-
-
72 m
46 m
0
0,7
1,4
2,83 km

Visualizado 118 vezes, baixado 6 vezes

perto de Faro, Faro (Portugal)

|
Mostrar original
Terceiro objetivo do quarto passo da viagem de primavera da Oarso Arte Kultur Elkartea.
Começamos o passeio a pé, depois do almoço, ao lado do Hotel Eva, onde a guia, Ana Dias, nos pega.
Ana explica que a 'doca' (marina) de Faro deve ser acedida debaixo dos trilhos do trem e quase sempre na maré baixa, por isso não há iates muito grandes.
Faro oposto é o Parque Natural da Ria Formosa, ao longo de 60 km (de Vila Real de Santo António a Faro), que é uma zona pantanosa e dunar, com sapais e lagoas, com cinco ilhas e duas penínsulas. O parque é um refúgio apreciado por aves migratórias e fauna marinha.
Ossónoba foi o primeiro nome de Faro (século VIII aC, durante a colonização fenícia). Faro estava então sob o domínio grego, cartaginês, romano, bizantino e visigodo. O nome Faro pode vir de Ibn Harun -> Faro
Todas as mesquitas do Algarve foram destruídas.
Ana recomenda-nos recuperar a força com um bolo de creme ou um pedaço de braço laranja cigana. Acompanhado por uma "bica" (apenas café)
Não há românico no Algarve, devido à reconquista tardia
Em Faro existem amêijoas, amêijoas, mexilhões e coquinas, e o caranguejo que regenera o grampo. Cimento também é feito (E410), com alfarroba, que é exportado.
As fotos, do Pedro e do meu.
|
Mostrar original
Waypoint

Rua Santo Antonio

Caminhamos ao longo do rio Santo António, calçada portuguesa, de peças de basalto negro, misturadas com pedras brancas, formando diferentes figuras nos pisos. Rua comercial, com o Café Aliança (de 1908, terceiro mais antigo café em Portugal, hoje também uma casa de comida), lojas de objetos de cortiça (bolsas, sapatos, roupas ...), comida enlatada com a data em que houve alguma evento importante.
|
Mostrar original
Waypoint

Rua Santo Antonio

As telhas vieram de Sevilha e Delft; depois, de Portugal (de Lisboa, Coimbra e Porto). Esses azulejos, no século XVII, eram azuis e verdes e, no século XVIII, brancos e azuis.
|
Mostrar original
Waypoint

Palacio

Vemos o exemplo da construção da arquitectura historicista, a partir de 1926, com elementos de Neomudéjar (de inspiração mourisca) e Neomanuelino, de Adães Bermudes, que foi um hospital e hoje é o Banco de Portugal, junto aos jardins de Manuel Bivar.
|
Mostrar original
Waypoint

Arco da Vila

Chegamos ao Arco da Vila, do século XIX, de um desenho neoclássico de Francisco Xavier Fabri, encomendado pelo Bispo do Algarve, Francisco Gomes do Avelar (1789-1816), num arco de parede andaluz do século XI (resta um colorido arco de ferradura) ), ao lado das antigas muralhas. Inscrição de 1757 na abóbada de tijolo. Em um nicho, Santo Tomas de Aquino, padroeiro oficial de Faro. Você pode acessar o bairro antigo, a parte medieval da cidade, parcialmente murado, chamado "Vila Adentro" ou "Cidade Velha" e continuar ao longo da rua do Município para chegar ao Largo da Sé.
|
Mostrar original
Waypoint

Largo da Sé

No Largo da Sé (de 'Sedes Episcopalis') fica a catedral. A igreja original foi construída no local de uma mesquita andaluza em 1251 pelo bispo de Braga, João Viegas. Em 1596 foi saqueada e queimada quase inteiramente pelas tropas britânicas do conde de Essex (no contexto da ocupação de Portugal por Castela). Deste templo é o primeiro corpo da torre do sino, a entrada medieval e duas capelas. Reconstruído em barroco após o terremoto de 1755. Um dos elementos únicos desta catedral é o seu órgão, feito no século XVIII e decorado com motivos chineses. A torre do sino está inacabada. Também naquela praça, a Câmara Municipal e o imenso Palácio Episcopal, do século XVI.
|
Mostrar original
Waypoint

Camino del Arco do Repouso y muralla

*** Estátua de Dom Afonso III (1210-1279) diante do Museu Municipal; isto, desde 1969, no convento de Nossa Senhora Assunção, do século XVI, e em cujo claustro se encontra a coleção arqueológica. Quase toda a coleção é da época romana, com várias pedras inscritas, um mosaico do segundo século e, melhor de tudo, um par de bustos de mármore do imperador Adriano e Agripina. Há também obras religiosas reunidas de mosteiros e igrejas dissolvidas em torno de Faro. *** Arco do Repouso, do período almóada (séculos XI a XIII). Tem duas torres e duas entradas laterais. De lá você pode ver os restos de muros de origem pré-romana, embora tenham sido modificados nos séculos IX e XII. Ana Dias explica-nos nos azulejos diante do muro, a história de Faro (como, por exemplo, a libertação da cidade em 1249 por Afonso III)
|
Mostrar original
Waypoint

Porta do Sol

Para a Porta do Sol, saímos da Vila Adentro e caminhamos entre a linha férrea e a muralha até o Largo de São Francisco.
|
Mostrar original
Arquitetura religiosa

Iglesia San Francisco

Igreja barroca A primeira pedra da igreja, em 1679. Depois foi extendida, e a fachada é do começo do 19o século. No interior, destacam-se os painéis de azulejos, principalmente os azulejos historiados dos s. XVIII que cobrem as paredes da capela-mor e as telhas da abóbada, com um valioso painel policromado no centro, representando a Coroação da Virgem. O conjunto, azul e branco, está integrado no Ciclo dos Mestres do s. XVIII e foi feita entre 1720 e 1730. Há também um monte de pão de ouro. As pinturas são do século XVIII, de Marcelo Leopardi, com cenas da vida de São Francisco. Nas antigas instalações do convento, junto à Igreja, encontra-se a Escola de Hotelaria e Turismo.
|
Mostrar original
Arquitetura religiosa

Foto

No caminho de volta ao ponto de partida, passamos pelo consulado do Brasil, e ao lado do imponente Palácio Belmarço, de 1912, edifício historicista ('revival') de Manuel Norte Júnior, na Rua de São Francisco.

1 comentário

Você pode ou esta trilha